Doenças Psicológicas Família e Filhos Relacionamento

Autismo – Uma Maneira de Enxergar o Mundo de Outra Forma

Comportamentos repetitivos, dificuldade em se socializar e falta de interesse, esses são alguns sintomas do Autismo ou Transtorno do Espectro Autista, uma doença crônica, que não possui cura, mas tem tratamento eficaz quanto antes identificada.

Escolha um dos profissionais TelaVita para uma consulta psicológica online

CLIQUE AQUI >

 

O que é o Autismo

Diversos tipos de desordens cerebrais que acontecem no desenvolvimento do cérebro, podendo ser elas apresentadas antes, durante ou após o parto, foram caracterizadas como TEA (Transtorno do Espectro Autista).

As pessoas com esse transtorno, o terão permanente pois ele não possui cura. Seus efeitos podem ser notados logo no nascimento ou serem quase imperceptíveis, levando assim um período de convivência para perceber, desta forma, podemos observar diversos graus do Autismo.

O mais importante e relevante a compreender é que, qualquer pessoa com autismo tem a capacidade de aprendizado, tendo somente que ser entendida e ensinada dentro das suas condições.

Os principais sintomas

Os sintomas são muito diferentes em cada tipo de caso, e uma pessoa com autismo não apresentará necessariamente todos eles, nem com a mesma gravidade. Os mais comuns são a dificuldade de interação social, comunicação, prática de movimentos repetitivos e interesse obsessivo por algo.

Alguns outros possíveis sintomas:

Psicológico: ansiedade, depressão e falta de empatia.

Desenvolvimento: pode apresentar dificuldade em aprender, principalmente a fala.

Comportamento: hiperatividade, choro, agressividade, não consegue estabelecer contato visual, repetição em palavras e ações, impulsividade, costuma imitar outras pessoas involuntariamente, gritos e interação social inadequada.

Fala: perda ou distúrbio da fala.

Cognição: interesse exagerado em algumas coisas e falta de atenção.

É importante também apontar que pessoas com autismo tem uma maior sensibilidade ao som e também podem apresentar tiques.

O Tratamento

O tratamento quando feito adequadamente e desde cedo ajuda a diminuir os sintomas, possibilitando um melhor desenvolvimento e aprendizagem ao paciente.

Os procedimentos devem ser adotados por todos envolvidos, tanto na educação através das terapias, quanto pela família. Uma família bem informada e preparada para compreender e atender as necessidades de quem possui o transtorno, são o principal pilar para a construção das características, identidade e potencial dessa pessoa.

O tratamento é realizado através de terapias, voltadas para: família, controle da raiva, processamento sensorial, teleprática, análise de comportamento aplicada, terapia assistida por animais e terapia comportamental.

Pode ser orientado o uso de medicamentos antipsicóticos para alguns casos, e os especialistas que devem acompanhar o desenvolvimento da pessoa com esse transtorno são: psicólogo, psiquiatra, neurologista, pediatra, fonoaudiólogo e terapeuta ocupacional.

Curiosidades

  • Por serem amantes da rotina, podem se desenvolver facilmente em certos tipos de trabalho;
  • Possuem uma capacidade de memória acima do normal;
  • O que aprendem dificilmente esquecerão com o tempo;
  • Possuem facilidade em aprender através do que veem;
  • São muito detalhistas;
  • Podem estudar e trabalhar com muito afinco e interesse;
  • São pessoas de confiança;
  • Se destacam com facilidade em áreas como: matemática, visual e artes em geral;
  • Não exame clínico para detectar o autismo, a avaliação é psicológica;
  • Em países como os EUA, há ambientes de cinema especiais para autistas, o som e a iluminação são mais baixos;
  • A falta de vitamina D na gestação pode contribuir ao desenvolvimento do autismo;
  • Um estudo neurocientífico revelou que os autistas se isolam porque conseguem sentir tudo com uma intensidade muito superior (Intense World Theory of Autism);
  • Há no mundo aproximadamente 70 milhões de pessoas com autismo;
  • Não há diferença entre um cérebro de uma pessoa desenvolvida normalmente e do autista.

O autista possui algumas limitações e muitos deles conseguem levar uma vida normal, é importante compreender que eles não são incapacitados, seu raciocínio e memorização é superior ao de uma pessoa comum, o que o diferencia é somente a intensidade com que ele se apaixona pelas coisas e a forma como eles se relacionam.

Conte com a ajuda dos especialistas online para receber orientações sobre tratamentos psicógicos

VEJA TODOS OS PSICÓLOGOS >

Você Também Pode Gostar De: