Autoconhecimento Família e Filhos

A volta às aulas – Aprenda a lidar com esse momento

volta às aulas

Para muitos pais a volta às aulas traz um pesado sentimento de abandono dos filhos ou medo de que algo não dê certo para a criança.

Escolha um dos profissionais TelaVita para uma consulta psicológica online

CLIQUE AQUI >

Porém essa fase também faz parte da evolução dos pequenos, e ela é necessária por diversos motivos: desde a educação infantil até mesmo ao amadurecimentos dos próprios pais. Não existe idade exata para que os filhos possam começar a frequentar uma escola, sabe-se que a necessidade é devido a rotina de trabalho dos familiares, sendo esta a principal chave que define essa decisão de matricular uma criança em uma creche, escola ou colégio.

Para garantir um bom período escolar, é importantíssimo que decidam antecipadamente sobre quais as metas e objetivos da criança nessa instituição de ensino, e quais as escolas que melhor se enquadram nesses quesitos dentro das condições da família.

Como se já não bastasse a preocupação com a conta da papelaria, outros pontos também desestabilizam muitas vezes o humor familiar, alguns passos e dicas importantes podem amenizar essa sensação de falta de proteção.

Conselhos gerais

Passem segurança

É indispensável a demonstração de que tudo está bem e que você estará ali para receber a criança ao final do horário escolar.

Não façam rodeios

Não fique contando muitas histórias nem se prolongando sobre o assunto com a criança, só é necessário que explique como funcionará a rotina e que esse processo é importante em sua vida. Lembre-se que essa fase não é um período de traumas, é algo normal, muitos nem se recordam de seu primeiro dia de aula.

Quando a criança não quer ir para a escola

Entenda primeiro que nem sempre essa atitude é birra, é natural do ser humano que se tenha medo diante de cenários desconhecidos e isso não é diferente quando se é criança. Portanto se possível, o leve para conhecer o ambiente antes das aulas começarem ou reforce o tema da importância do ensino e de fazer amigos.

Seja sensato

O seu filho precisa aprender, se desenvolver, não precisa perder a calma e se afundar em preocupações enquanto ele está ocupado crescendo. Lembre-se que se caso algo ocorrer, as pessoas responsáveis por ele na escola irão entrar em contato com você.

Não dê prêmios

Responsabilidades não devem ser premiadas. A escola não é algo ruim onde a criança mereça prêmio e presentes por ter se comportado bem. Ela precisa começar a vê-la como algo indispensável e que lhe dá prazer de vivenciar.

O choro não é certeza de nada

Quando seu filho chora ao separar-se de você para ir à escola, isso nem sempre significa que ele está passando por algo ruim lá dentro. É preciso prestar atenção em um todo para poder concluir se ele sofre algo dentro do colégio.

Não chorar também não significa que ela não o ama ou que não sente nada ao despedir-se. Algumas crianças se apegam mais facilmente ao novo e anseiam mais por conhecimento, o que as motivam às descobertas.

A rotina faz bem

Realizar os mesmos procedimentos de forma organizada todos os dias, incluindo o trajeto até a escola são dicas muito boas para desenvolver a segurança na criança. Lembre-se que lidar com o desconhecido é complicado, por isso criar hábitos saudáveis a transmitirá maior confiança.

Saiba dar tchau

Se você leva seu filho até a escola, ou quando ele sai de casa para isso, despeça-se dele antes de ir embora. Nada de se esconder ou “sair de fininho” para evitar o choro, ao contrário, sempre que possível diga que você está saindo mas que mais tarde retornará para buscá-la.

Ser organizado é a alma de tudo

Delegar responsabilidades à criança em sua própria casa auxilia para que ela tenha bom comportamento na escola. Portanto coloque horários justos para que ela estude e faça suas atividades escolares.

Comportamentos essenciais de segurança

Algumas atitudes seguras podem evitar traumas relacionados com a rotina escolar, os mais importantes são:

Em casa

  • Explique para seu filho sobre o uso de aparelhos eletrônicos, peça também que ele não os utilizem em locais abertos ou fora de casa ou da escola;
  • se for dar algum dinheiro ao seu filho para alguma eventual necessidade, faça em casa. Não abra bolsas, mochilas ou carteiras na rua;
  • oriente seu filho para não conversar com estranhos, e caso algum se aproxime o ensine a sempre buscar ajuda de policias, conhecidos ou representantes da escola;
  • caso a criança vá sozinha para a escola, sempre procure por pais que fazem o mesmo caminho para ela poder ir junto ou grupos de colegas que realizam o mesmo trajeto;
  • é muito importante anotar e deixar nos pertences da criança endereço, telefone e contatos de emergência. Não se esqueça também de ensiná-lo esses dados para que memorize essas informações.

Travessias

  • Seja o exemplo, utilize sempre a faixa de pedestre para as travessias;
  • não atravesse por trás de objetos grandes, como veículos parados e árvores, vocês podem ficar em ponto cego para os motoristas.

No carro

  • Respeite a legislação em vigor e mantenha a criança devidamente no bando traseiro;
  • os pais precisam durante todo o trajeto prestarem atenção nos arredores se não há ninguém os observando. É provado que a maioria dos furtos e roubos na entrada dos colégios acontecem em momentos de distração e que as vítimas foram observadas minutos antes ao ocorrido.

Transporte público

  • No transporte de ônibus público, quando houver poucos passageiros, sentem-se sempre próximos ao motorista;
  • não retire grande quantidade de dinheiro do bolso, bolsa ou carteira. De preferência ande com o dinheiro contado;
  • mantenha sempre bolsas e mochilas próximos a frente do seu corpo;
  • evite que a criança use aparelhos eletrônicos durante o trajeto de transporte público.

Caso o sentimento de culpa e abandono estejam fortemente presentes em você, é aconselhável conversar com os responsáveis por seu filho na escola, para sentir maior segurança e quando isso se torna algo mais acentuado, é necessário também a orientação psicológica.

Entenda essa fase como necessária e que será muito rica a todo processo de crescimento do seu filho, quanto mais você se sentir seguro, mais a criança se sentirá assim também.

Existem muitos conflitos na sua família?

FALE COM UM PSICÓLOGO ONLINE >

Rate this post

Você Também Pode Gostar De: