Profissionais deficientes- Cuidados e boas práticas

0
923
trabalho para deficiente

A contratação de pessoas com deficiência por uma empresa é de grande importância tanto para a economia brasileira, quanto para a inclusão dessas pessoas no mercado de trabalho, pois isso contribui para trazer dignidade, democracia, reabilitação social e psicológica para elas.

O colaborador que é deficiente tem a oportunidade de interagir com outras pessoas, se sentir útil e produtivo em relação ao meio em que vive, e principalmente, pertencer a um grupo social. Esse trabalhador pode contribuir também com visões e experiências diversificadas que agregarão valor à empresa, e que consequentemente enriquecem o ambiente de trabalho.

Muitas são as adversidades que o portador de deficiência enfrenta todos os dias, como no caso dos deficientes físicos, a falta de acessibilidade, por exemplo. A resiliência, portanto, é um de seus maiores traços, ou seja, são pessoas mais preparadas para lidar com situações de críticas ou desentendimentos, e a se adaptarem melhor às situações.

O papel do RH na inclusão de profissionais com  deficiência

Primeiro é necessário entender a diferença entre os termos integração e inclusão. No primeiro, a pessoa com deficiência precisa se adaptar a sociedade, com as características e costumes que já possui. Já com a inclusão entende-se que os dois lados precisam se modificar e adaptar simultaneamente.

A inclusão de deficientes a um quadro de funcionários não é um favor que empresa faz, afinal, essa pessoa é tão capacitada quanto qualquer outra para desempenhar uma função. Portanto, a sociedade precisa se libertar desse estereótipo pois não há uma benfeitoria, e sim, a disponibilização de uma vaga para alguém competente ao cargo.

A contratação envolve responsabilidade social, respeito, empatia e conhecimento perante as informações necessárias. Por isso, é dever do RH evitar que a admissão seja feita somente para cumprir os termos da lei e deixar a inclusão como segundo plano. No cenário perfeito, a obrigatoriedade de uma lei para assegurar a inserção desse profissional no mercado de trabalho não seria necessária, pois o ideal é que essa fosse uma atitude natural.

A falta de informação e o preconceito são os maiores impedimentos na hora de contratar profissionais com deficiência. Conhecer esse universo favorece na inclusão e no relacionamento com esse público. O RH precisa proceder com atitudes que mostrem aos outros colaboradores que todos desfrutam com igualdade dos mesmos direitos.

Principais legislações em relação ao mercado de trabalho

Existem diversas lei de acessibilidade, e decretos para auxiliarem as pessoas com deficiência em relação ao mercado de trabalho, confira as principais:

  • Lei de Cotas;
  • Lei Brasileira de inclusão da pessoa com deficiência;
  • Decreto 3.298/1999;
  • Decreto 5.296/2004;
  • Convenção da ONU ( com 50 artigos).

Como lidar com os profissionais com deficiência

A postura

  • Não utilize o termo: ” Portador de deficiência”, “pessoa com necessidades especiais” ou “portador de necessidades” mas sim: “pessoa com deficiência”;
  • por mais que sejam vistos como agressivos, podem ser utilizados os termos “cego” ou “surdo”;
  • não deferir palavras que denigram, humilhem ou inferiorizem, mesmo que na brincadeira. Jamais são permitidos termos como “aleijado”,”inválido”,”mongol”, “excepcional”, “retardado”, “incapaz”, etc.

Como lidar com pessoas de deficiência física

  • Ao conversar com um profissional que utiliza cadeira de rodas, a pessoa do RH, que estará o atendendo, precisa estar preferencialmente sentada, para que fiquem com os olhos no mesmo nível do outro;
  • não apoiar-se na bengala ou cadeira de rodas;
  • empurrar a pessoa em cadeira de rodas com cuidado;
  • se o indivíduo que está conduzindo a cadeira parar para conversar com alguém, deve lembrar de deixar o cadeirante na mesma direção, para que possa participar da conversa;
  • sempre que for oferecer ajuda, perguntar como você deve proceder;
  • não se ofender se a ajuda for recusada;
  • atentar-se às barreiras que existem quando for escolher locais para encontros como reuniões ou comemorações.

Como lidar com pessoas de deficiência visual

  • ao guia-los, colocar sempre a mão da pessoa no seu cotovelo, que deve estar dobrado. Se estiverem em algum lugar apertado, colocar as mãos para trás;
  • avisar com antecedência a existência de degraus, buracos, etc.
  • falar em tom de voz normal, a menos que a pessoa também possua deficiência auditiva.

Como lidar com deficientes auditivos

  • Quando for falar com uma pessoa surda, se posicione à frente da mesma, para que ela possa visualizar os movimentos labiais;
  • seja sempre expressivo;
  • mantenha sempre o contato visual;
  • mesmo que estejam acompanhadas por um intérprete, dirija-se ao indivíduo;
  • de preferência, pergunte sempre se a pessoa prefere a comunicação escrita.

É importante lembrar de que existem outros tipos de deficiência, não se limitando somente a essas. A acessibilidade no Brasil ainda é um grande problema e é essencial que os direitos das pessoas com deficiência sejam respeitados.

É vital que as empresas estejam preparadas para a inclusão  de pessoas com deficiência, prezando sempre pelo respeito, harmonia, bem-estar e responsabilidade. E, de forma alguma, elas devem esquecer que essa contratação não é um favor prestado e sim a contratação de um profissional hábil e capaz de exercer suas funções como qualquer outro dentro do quadro de funcionários.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.