O que é o transtorno de ansiedade generalizada?

tag

Você é uma pessoa muito preocupada? Sente que vive mais antecipando os eventos do que vivenciando o presente? Esses podem ser alguns dos sinais apresentados em um quadro de TAG – Transtorno de Ansiedade Generealizada. Mas, calma. Nem toda pessoa que possui esses comportamentos necessariamente possui o transtorno! Muita gente comete o terrível erro de ler sobre o assunto e se autodiagnosticar. Não seja uma delas! Consulte sempre um psiquiatra ou psicólogo para receber o diagnóstico apropriado.

Conhecer o assunto é uma das melhores maneiras para aprender a lidar com a situação e realizar a prevenção. Então, você quer saber tudo sobre ansiedade generalizada? Acompanhe esse texto e conheça os diversos aspectos dela.

O que é TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada)?

A síndrome da ansiedade generalizada está classificada no CID (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde) em F41.1 e é caracterizado como “Outros transtornos ansiosos”.

O DATASUS (Departamento de Informática do SUS) define como “Outros transtornos ansiosos” aqueles identificados pela “presença da manifestações ansiosas que não são desencadeadas exclusivamente pela exposição a uma situação determinada. Podem se acompanhar de sintomas depressivos ou obsessivos, assim como de certas manifestações que traduzem uma ansiedade fóbica, desde que estas manifestações sejam, contudo, claramente secundárias ou pouco graves”.

Já o transtorno de ansiedade generalizada em si é definido como “ansiedade generalizada e persistente que não ocorre exclusivamente nem mesmo de modo preferencial numa situação determinada (a ansiedade é ‘flutuante’)”, de acordo com o Departamento.

Diferença entre ansiedade e transtorno de ansiedade

Todos as pessoas possuem um pouco de ansiedade, e isso é perfeitamente normal. Inclusive, um pouco de ansiedade faz bem pois deixa o organismo em estado de alerta e prepara o corpo para eventuais dificuldades.

Entretanto, é importante ressaltar a diferença da ansiedade saudável do transtorno de ansiedade. O limite entre elas é a intensidade dessa ansiedade e a persistência com que ela ocorre. É vital que todos nós realizemos o autoconhecimento, seja para controlar uma ansiedade normal para não desenvolver a TAG, quanto para saber quando é a hora de um profissional especializado agir!

Causas da ansiedade generalizada

A causa do distúrbio de ansiedade generalizada ainda não foi identificada. Entretanto, já foi possível destacar alguns fatores que influenciam na incidência do transtorno em questão.

É possível que a genética seja um fator importante nesses casos. Então, observar o histórico familiar de ansiedade pode ser interessante para traçar uma maior probabilidade de desenvolvê-lo.

Além disso, é interessante analisar o ambiente no qual a pessoa está inserida. A exposição recente ou prolongada a situações estressantes pode ser uma das causas para a ansiedade generalizada. Traumas também podem entrar nesse quesito.

Certos hábitos e aspectos da vida pessoal desempenham papel potencializador do transtorno. O consumo excessivo de cafeína ou tabaco são capazes de piorar a ansiedade já existente. Problemas nos relacionamentos ou no trabalho podem deteriorar a situação.

Sintomas da ansiedade generalizada

Ao tratar do transtorno da ansiedade generalizada é importante conhecer quais são os seus sintomas. É possível identificar com mais facilidade o que está acontecendo e procurar ajuda médica.

Sintomas psicológicos:

Ansiedade excessiva;

– Preocupação exorbitante;

– Nervosismo;

– Irritabilidade;

– Dificuldade de concentração;

– Etc.

Sintomas físicos:

– Fadiga;

– Problemas para dormir;

– Tensão muscular ou dores musculares;

– Suor;

– Náusea, diarreia ou síndrome do intestino irritável;

– Etc.

Qual o diagnóstico do transtorno generalizado de ansiedade?

O profissional da saúde realiza a avaliação do histórico médico do paciente para encontrar possíveis soluções para a crise de ansiedade generalizada. Antes do diagnóstico, ele pode pedir alguns exames, como o de sangue, para ter certeza de que os sintomas não são causados por alguma doença física.

De acordo com o Manual MSD, um médico precisa identificar alguns sinais para diagnosticar o transtorno de ansiedade generalizada. Dessa forma, a pessoa precisa sentir uma preocupação ou ansiedade que é excessiva e que diz respeito a diversas atividades e eventos, além de estar presente a mais de 6 meses.

O indivíduo, ainda, precisa apresentar pelo menos 3 dos seguintes sintomas: agitação ou uma sensação de tensão ou nervosismo; tendência a cansar-se facilmente; dificuldade de concentração; irritabilidade; tensão muscular; ou sono perturbado.

Ansiedade generalizada tem cura?

O transtorno de ansiedade generalizada não possui cura. Como se trata de um transtorno crônico, não é possível falar na eliminação completa dos sintomas, entretanto, é possível atenuar os seus efeitos com tratamento. Dessa forma, somente é possível realizar o controle da ansiedade generalizada.

Tratamentos para transtorno de ansiedade generalizada

O tratamento de TAG tem como objetivo fazer a pessoa retomar a vida normal. Por conta da sua complexidade, o transtorno é tratado por diferentes frentes. A intervenção é realizada, principalmente, através de medicamentos e de acompanhamento psicológico.

Sendo assim, é fundamental consultar o psiquiatra e o psicólogo. O primeiro será responsável por compreender os aspectos biológicos do pacientes e recomendar remédios para tratamento. Já o segundo, trabalhará para fortalecer as capacidades mentais da pessoa e, geralmente, é realizada a terapia cognitiva comportamental. 

Conforme o paciente toma a medicação controlada, como ansiolíticos, o acompanhamento psicológico deve continuar. A psicoterapia aliada à medicação contribui para trazer estabilidade emocional para a pessoa a longo prazo. Tudo isso contribui para proporcionar bem-estar e saúde mental sem muitas crises.

Como é a terapia para ansiedade generalizada?

O psicólogo irá auxiliar o paciente a identificar os gatilhos que disparam os sintomas físicos do transtorno. Aliás, compreender estes gatilhos e os sentimentos da pessoa é o primeiro passo para aprofundar o tratamento psicológico.

A terapia irá conscientizar cada vez mais o paciente sobre o transtorno e como ele afeta as diferentes áreas de sua vida. A ideia é promover uma percepção maior sobre si e, assim, o autoconhecimento.

A partir disso, o psicólogo irá oferecer recursos e técnicas para que o paciente utilize durante crises. Dessa forma, será possível que a pessoa consiga ter um maior controle durante o cotidiano e nestes momentos difíceis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.