Mindfulness: Do que se trata essa técnica milenar?

0
52
o que é mindfulness

Quando falamos em meditação, muita gente associa essa prática milenar aos monges. Mas vocês sabiam que é possível praticar o mindfulness durante a rotina?

Feche os olhos. Tente prestar atenção em todos os sons e sensações que acontecem ao seu redor. Você conseguiria focar a sua atenção em apenas UMA dessas coisas e em apenas UM pensamento? Não? Então talvez você precise conhecer essa tal de mindfulness, a meditação budista milenar que tem transformado a vida de muita gente. 

Para muitos, deitar a cabeça na cama e dormir logo em seguida é uma tarefa difícil, pois é justamente nessa hora que toda a sorte de pensamentos invade a mente. E aí você tenta a todo custo se livrar desses pensamentos, afinal, está na hora de dormir. Em contrapartida, durante o dia, o bombardeio de informações que sofremos a todo instante faz o cérebro processar tudo muito rápido e ao mesmo tempo, o que faz com que a nossa atenção seja dividida em pequenos fragmentos a deixando totalmente desnorteada.

No mindfulness, ou atenção plena como também é chamada, os pensamentos diminuem de velocidade e seguem um fluxo mais organizado e controlado por quem os têm, afinal, de que adianta pensar tanto se, no fim das contas, esses pensamentos só fazem sofrer com tanta ansiedade e estresse? É importante saber controlar a própria mente e focar a atenção para o que realmente se quer.

O que é mindfulness?

Muita gente já se acostumou a viver no piloto automático: fazer tudo ao mesmo tempo, pensar em mil coisas enquanto realiza as tarefas e frequentemente se esquecer do porquê está fazendo o que está fazendo. A meditação mindfulness ajuda quem pratica a sair do piloto automático e controlar o fluxo de pensamentos. Ela é um conhecimento milenar que tem origem no budismo cujo objetivo é alcançar a atenção plena do momento presente através da meditação

O intuito é que, com essa atenção focada apenas no pensamento presente, o indivíduo consiga perceber todos os sentidos e emoções, além de conseguir absorver muito mais do que um momento oferece.

“Ao adquirir tal estado de consciência e autorregulação da atenção, é possível perceber emoções, ansiedades e sensações à medida que surgem, sem suprimi-las.2; Assim, adota-se uma postura mais flexível diante delas. Portanto, mindfulness funciona como um canal para que o indivíduo aceite suas emoções e tenha mais recursos para lidar positivamente com elas”, observa a Medley. 

A prática de mindfulness já era praticada no mundo antigo e hoje voltou com força para tornar a vida um pouco mais leve. “Muitas pessoas esqueceram como viver uma vida agradável e alegre. E, pior, se esforçam tanto para serem felizes que acabam desperdiçando seus momentos mais importantes e destruindo a paz que vinham buscando”, apontam os psicólogos Mark Williams e Danny Penman, autores do livro “Atenção plena – Mindfulness”. Os dois pesquisaram profundamente a técnica mindfulness e são grandes adeptos do pensamento de que essa meditação pode ajudar quem a pratica se libertar da ansiedade, do estresse, da infelicidade e da exaustão. “Não prometemos felicidade eterna, pois sabemos que todos passam por períodos de dor e sofrimento, e seria ingênuo negar esse fato. Mas, mesmo assim, é possível ter uma alternativa à luta implacável que permeia grande parte da nossa vida”, observam Williams e Penman.

Mindfulness: significado

O termo mindfulness vem do inglês, embora na sua origem budista ele tenha outro nome.  A tradução de mindfulness do inglês seria algo como “consciência plena” ou, como já mencionamos anteriormente, “atenção plena”. 

Mindfulness: exercícios

Praticar mindfulness não é nada impossível. Os autores Williams e Penman informam  que exercícios de mindfulness podem ser praticados em 1 minuto ou 40. O que vai ditar o efeito da prática é a qualidade e atenção com que é realizado.

No livro Atenção plena – Mindfulness, os autores explicam como fazer o mindfulness em 1 minuto.

1- “Sente-se ereto em uma cadeira com encosto reto. Se possível, afaste um pouco as costas do encosto da cadeira para que sua coluna vertebral se sustente sozinha. Seus pés podem repousar no chão. Feche os olhos ou abaixe o olhar;

2-  Concentre a atenção em sua respiração enquanto o ar flui para dentro e para fora de seu corpo. Perceba as diferentes sensações geradas por cada inspiração e expiração. Observe a respiração sem esperar que algo especial aconteça. Não há necessidade de alterar o ritmo natural;

3- Após alguns instantes, talvez sua mente comece a divagar. Ao se dar conta disso, traga sua atenção de volta à respiração, suavemente. O ato de perceber que sua mente se dispersou e trazê-la de volta sem criticar a sim mesmo é central para a prática da meditação da atenção plena.

4- Sua mente poderá ficar tranquila como um lago – ou não. Ainda que você obtenha uma sensação de absoluta paz, poderá ser apenas fugaz. Caso se sinta irritado ou entediado, percebe que essa sensação também deve ser fugaz;

5- Após um minuto, abra os olhos devagar e observe o aposento novamente. Uma meditação típica consiste em concentrar toda a atenção na respiração. Isso permite que você observe os pensamentos surgindo em sua mente e, pouco a pouco, pare de lutar contra eles. Assim, você começa a perceber que os pensamentos vêm e vão por si próprios, e descobre que você não é seus pensamentos”.

Mindfulness e a psicologia

Já pensou se a meditação mindfulness ajudasse na ansiedade? Pois ela pode! Mark Williams, o autor do livro que citamos neste artigo, é fundador e diretor honorário do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Oxford, na Inglaterra. Seu maior interesse é entender como o método mindfulness trabalha sob a ótica da psicologia e aplicar a técnica na psicologia cognitiva. 

Estudos apontam a eficácia do mindfulness na diminuição do estresse, ansiedade, depressão, hipertensão, além de fortalecer o sistema imunológico, segundo pesquisas divulgadas no livro de Williams e Penman. Uma pesquisa da Universidade de Harvard, Estados Unidos, aponta que algumas pessoas não respondem às intervenções convencionais contra transtornos psicológicos, como os antidepressivos e a terapia cognitiva. Então, para essas pessoas, o mindfulness pode ser uma alternativa valiosa.

Seja em casa, ou no parque. Durante 1 minuto, ou 30, a prática do mindfulness pode beneficiar a sua saúde física e mental. Caso você tenha interesse sobre o assunto de inteligência emocional e deseje aprender a controlar melhor os seus pensamentos, os nossos psicólogos da Telavita podem te orientar nesse processo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.