O impacto do retorno presencial ao trabalho na saúde mental

retorno

A pandemia apresentou uma nova realidade no mundo. A vida pessoal, o trabalho e as interações sociais sofreram mudanças drásticas, entretanto, a retomada de tais atividades é inevitável.

Por conta disso, precisamos falar sobre o retorno gradual às atividades presenciais e, principalmente, sobre a relação das pessoas com os próprios empregos. Muitos continuaram a produzir presencialmente, mas boa parte adotou o sistema de trabalho remoto. Então, resta uma questão sobre como será esse novo momento pós-pandemia.

A adaptação ao trabalho remoto

De acordo com uma pesquisa da McKinsey, realizada entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021, o trabalho remoto proporcionou um aumento significativo da produtividade individual e das equipes. Além disso, segundo alguns executivos, a satisfação de clientes também cresceu, apesar do momento delicado.

A adaptação ao trabalho remoto gerou bastante angústia, ansiedade, depressão e, sobretudo, estresse. Isso ocorreu, principalmente, com àqueles que dependem emocionalmente da interação social em suas profissões e trabalho prático.

Por um lado, foi observado um aumento significativo de reuniões por videoconferência e de volume de trabalho. Entretanto, o trabalho remoto também promoveu as formações online, estudos em geral, aumento de intimidade e convívio com os mais íntimos.

Nesse sentido, a pandemia desafiou as empresas e colaboradores para serem mais assertivos e inovadores na comunicação, de modo a trazer uma aproximação entre profissionais, líderes e clientes.

Conheça a plataforma de terapia online da Telavita

O trabalho remoto e o impacto nas pessoas

Mesmo diante da transformação digital demandada nos últimos meses, precisamos lembrar que o maior ativo das empresas são as pessoas. Sendo assim, o cuidado e trato com elas precisa ser muito bem planejado.

Uma questão ficou evidente: ainda existe, e muito, a necessidade de interação socioprofissional presencial; afinal, essa proximidade contribui para o bom funcionamento das funções cerebrais. Aliás, esse contato ‘olho no olho’ promove o desenvolvimento de afinidades, confiança mútua, além de possibilitar a escuta ativa e o acolhimento.

A ressignificação do trabalho

Entretanto, esse período também trouxe uma ressignificação do trabalho e da produtividade. Dessa forma, muitas famílias precisaram lidar com um novo modelo de espaço de convivência e privacidade.

Nesse sentido, constatamos nos atendimentos psicológicos online, que a maioria das pessoas precisaram se adaptar às condições do distanciamento social e isso trouxe novas configurações para a vida como um todo.

LEIA MAIS: Como não deixar o trabalho te consumir

O que chama a atenção, no entanto, é a quantidade de pessoas que se mudaram para novos espaços. Existem aqueles que foram para lugares maiores com a família, enquanto outros voltaram a morar com seus familiares. Também foi possível perceber um movimento de maior aproximação com as redes de apoio para o cuidado com os filhos e dos idosos.

Qual é a necessidade de retomar as atividades presenciais?

Quando pensamos em pessoas, funcionários e colaboradores como os principais ativos para as empresas, como mencionado, podemos levar em conta a necessidade de troca de saberes e de afeto.

A interação presencial jamais será substituída pela virtual. Sempre haverá espaço para compartilhar em conjunto as conquistas, os problemas, as demandas, o conhecimento e as tendências.

Muito se fala sobre vida e trabalho pós-pandemia, mas pouco se sabe quando ela acabará. O que se constata é que houve uma ‘normalização’ da dor, do luto e da doença. Infelizmente, tratam-se essas questões como uma roleta russa em que alguns se apagam neste jogo da vida.

Agende agora uma consulta com psicólogo

Por outro lado, é possível observar um outro grupo de pessoas. Tratam-se daquelas que entram em conflito por não conseguirem se adaptar à ideia de atividades presenciais ou mesmo híbridas.

De qualquer modo, novas adaptações em tão pouco tempo serão necessárias. Sendo assim, precisaremos nos despedir gradualmente da intimidade intensa familiar, do chinelo, da roupa folgada e do tempo economizado no deslocamento.

Inclusive, esse maior tempo investido em atividades físicas, autocuidado, companhia dos animais de estimação, educação dos filhos e lazer, também precisará encontrar novas formas para acontecer.

O retorno é benéfico?

Os relatos recebidos nos atendimentos mostram que os benefícios das atividades presenciais podem não compensar esse retorno. Esse mundo repleto de interação, trânsito, gastos com roupas, acessórios, alimentação fora de casa, muitas vezes, pode ter o efeito contrário nessa balança.

O sistema híbrido pode ser uma opção para muitas empresas e negócios que podem lucrar com a redução de custos com espaços físicos para comportar os postos de trabalho presencial.

LEIA MAIS: Como controlar o estresse no trabalho

Além disso, essa opção pode também trazer um conforto tanto às pessoas que não se adaptaram ao trabalho remoto, quanto aos que priorizam as atividades à distância para garantirem qualidade de vida.

A pesquisa da McKinsey, inclusive, mostra que o futuro do trabalho será mais híbrido. Entretanto, o estudo aponta que 21% a 80% das atividades laborais serão presenciais e de uma a quatro vezes por semana.

O que a saúde mental tem a ver com o retorno?

A maior parte dos transtornos mentais provém da interação do indivíduo com o ambiente, assim como com a predisposição genética para o desenvolvimento dos mesmos. Na Psicologia, sabemos também que as identificações de um indivíduo com o papel social são fontes abundantes de neuroses.

Dessa forma, quando não existe um equilíbrio entre o que as pessoas desejam e o que necessitam, poderemos observar muitos conflitos emocionais internos.

De acordo com a pesquisa da consultoria, muitos profissionais não querem voltar às atividades presenciais. Além disso, 29% dos entrevistados afirmam que poderão mudar de emprego, caso a empresa exija o trabalho apenas presencial.

Encontre seu psicólogo online

Sendo assim, o modelo híbrido de trabalho e de vida aparece como uma forma mais benéfica para garantir as interações, a economia, a produtividade e a saúde mental.

Durante a pandemia, muitos tratamentos psicológicos online foram iniciados e mantidos com um engajamento muito maior do que os presenciais. Como para a maioria das pessoas não existe nenhuma diferença em relação ao atendimento presencial, a terapia remota conseguiu atender as demandas de muitos por conta de sua flexibilidade de horários e privacidade garantida.

O retorno gradual e de forma híbrida poderá mostrar que as pessoas terão uma grande chance de inovar e se adaptar às demandas dos formatos socioprofissionais atuais. Além disso, a volta das atividades também irá valorizar o autocuidado, a produtividade no espaço físico e, sobretudo, a qualidade do trabalho que exercem e as suas relações pessoais.

LEIA MAIS: Como a saúde mental está relacionada ao trabalho?

Artigo anteriorPsicólogo Omint: como fazer uma consulta online
Próximo artigoComo podemos atuar na prevenção ao suicídio?
Psicóloga Silvia Zoffmann - CRP 06/54310
Sou Psicóloga graduada pela PUC-SP - Brasil, com formação em Psicanálise e em Psicologia Analítica Junguiana, com sólida atuação em atendimentos presenciais em consultório, ambulatório de saúde mental e online em Psicologia Clínica para adultos, com ênfase em: autoconhecimento | sofrimento psíquico; conflitos pessoais e de relacionamentos; depressão | ansiedade | transtornos emocionais e comportamentais; síndrome de Burnout | estresse crônico; demissão | desemprego | transição de carreira; demais questões relacionadas ao trabalho e produtividade. Com atuação tanto corporativa (em empresas), como em consultorias de RH e de Recolocação, possuo vasta experiência em Orientação de Carreira (profissional), Outplacement e Recolocação e realizo atendimentos online para pessoas que precisam de apoio em suas transições de carreira, treinamento para entrevistas, elaboração de currículo (CV), perfil LinkedIn, ferramentas de networking e identidade profissional. Atuo também como Headhunter para empresas, conduzindo Processos Seletivos de profissionais para todos os segmentos. Sou palestrante presencial e online em workshops sobre temas relacionados aos conflitos psicológicos durante uma Transição de Carreira, Mercado de Trabalho, Elaboração de Currículo e Perfil LinkedIn, Networking, Processos Seletivos e Entrevistas, Identidade Profissional, Imagem e Marca Pessoal. Atualmente, os atendimentos realizados em Psicologia Clínica, em Carreira e Processos Seletivos são realizados somente ONLINE, através de recursos de videoconferência. Ofereço além dos atendimentos, serviços de revisão de Currículo e Perfil LinkedIn.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.