Tire as dúvidas! Confira 5 perguntas e respostas sobre transtornos alimentares.

0
391
perguntas sobre transtorno alimentar

Se você pensa que transtorno alimentar é coisa da modernidade, saiba que a Rainha Maria Stuart, Rainha da Escócia e Rainha Consorte da França já sofria de úlcera gástrica seguida de perda excessiva de peso no século 16. O quadro levou médicos e historiadores a acreditarem que a rainha possuía anorexia.     

1 – O que é transtorno alimentar?

Os transtornos alimentares são caracterizados por alterações e perturbações psicológicas referentes à alimentação que interferem na saúde física e mental do indivíduo. Essas alterações referem-se ao excesso de comida ou à falta dela.

Existem diversos tipos de transtornos alimentares, como a bulimia, a anorexia, o transtorno de compulsão alimentar periódica, a hiperfagia, o transtorno alimentar noturno, a alotriofagia, a ortorexia, entre outros.

Confira o que cada transtorno causa clicando aqui!

2 – Qual a diferença entre anorexia e bulimia?

A diferença entre anorexia e bulimia está na manutenção do peso considerado saudável pela OMS. Os que sofrem de anorexia estão sempre abaixo dele, mas os pacientes com bulimia conseguem mascarar o transtorno na balança pois mutias vezes conseguem manter o peso considerado ideal.

Anorexia:  A pessoa para de comer
Bulimia: Alimentação em excesso e compulsória

Anorexia: Perda de peso expressiva
Bulimia: Perda de peso normal ou pouco abaixo do aceitável pela OMS

Anorexia: Ausência de menstruação
Bulimia: Menstruação irregular

Anorexia: Não percebe que tem um transtorno 
Bulimia: Sente culpa pelo seu comportamento

Anorexia: A pessoa para de comer
Bulimia: Alimentação em excesso e compulsória

Anorexia: A pessoa pode se sentir muito ansiosa e depressiva
Bulimia: A pessoa apresenta emoções excessivas, impulsividade e oscilações de humor.

Confira o artigo completo sobre a diferença entre bulimia e anorexia clicando aqui!

3 – Obesidade é transtorno alimentar?

De acordo com a Classificação Internacional de Doenças (CID), a obesidade (E66.0, no CID) pode ser uma consequência dos transtornos alimentares. Isso vai depender muito do caso do paciente, pois a obesidade tem diversas origens.

Segundo a OMS, obesidade é definida como o acúmulo anormal ou excessivo de gordura que representa riscos para a saúde, como diabetes, doenças cardiovasculares e câncer.

Pelo menos 2.8 milhões de pessoas morrem todo ano em consequência da obesidade e sobrepeso. O problema é mais comum em países desenvolvidos, concentrando-se principalmente nas áreas urbanas.

Saiba mais sobre a diferença entre obesidade e sobrepeso aqui!

4 – Como lidar com transtorno alimentar?

Os tratamentos em tipos de transtornos alimentares têm uma coisa em comum: restaurar a nutrição adequada. Toda a compulsão e exagero devem ser reduzidos de forma que o hábito alimentar do paciente se torne algo prazeroso, sem culpa e, principalmente, saudável.

A psicoterapia é um dos métodos mais eficazes pois ajuda a entender os motivos psicológicos que transformaram a alimentação em vilão.

Monitoramento, cuidados médicos e aconselhamento com nutricionistas são fundamentais no processo de tratamento dos distúrbios. Medicamentos podem ser prescritos para combater a origem de alguns transtornos, como os antidepressivos para a depressão.

5 – O que é transtorno alimentar noturno?

Também conhecido por “Síndrome do Comer Noturno”, o transtorno se caracteriza pela ingestão de alimentos de forma compulsiva no período da noite. 

Um dos sintomas do transtorno alimentar noturno é quando o indivíduo evita comer durante o dia, ou pratica jejum, mas assalta a geladeira de forma compulsória durante a noite, comendo em grandes quantidades. Outro sinal da síndrome é a insônia após a refeição.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.