Saiba como identificar a dependência emocional

2
11516

A dependência emocional é mais comum do que se parece. A necessidade de outra pessoa para viver, de não saber como agir sozinho, não se sentir feliz, nem motivado, podem ser sinais importantes.

O grande problema é que esta codependência causa desgastes no relacionamento e no convívio, e é o indício de um sério transtorno que prejudicará a saúde e as relações sociais.

O que é a dependência emocional

É um transtorno psicológico que afeta não só quem o possui como também a pessoas com quem há o relacionamento. Esta condição comportamental e emocional afeta a capacidade do indivíduo de se relacionar.

Geralmente este distúrbio surge entre um casal, mas também há as exceções de quem depende de algum amigo ou parente. Torna-se algo muito difícil e de grande sofrimento tomar decisões sozinho, é como se não houvesse capacidade, e é preciso o auxílio de alguém que considere mais esperto ou que a pessoa julgue mais inteligente e confiável.

Quando há o controle ou manipulação de um dos envolvidos com o parceiro, caracteriza-se esse problema como patológico, onde será necessário um tratamento. Ele é denominado como Transtorno de Personalidade Dependente.

Quais fatores causam a Dependência Emocional

A Dependência Emocional na maioria dos casos provém de uma fragilidade adquirida ainda na infância, no crescimento em uma família com muitos conflitos e pouco suporte para a criança. Excesso de regras, punições e falta de amparo, segurança, carinho e amor causam a grande dependência afetiva e esta pessoa procurará por quem supra sua carência e insegurança na fase adulta da vida.

O oposto também pode despertar este transtorno, cuidados em excesso e muito afeto, sem correções quando necessárias formam uma pessoa adulta dependente de tratamentos especiais e exclusividades para o resto da vida, a deixando desprovida de confiança e condição de julgar, decidir e escolher sozinha.

A maneira como a criança é educada e criada fará toda a diferença em seu comportamento na fase adulta, inconscientemente ela adquire o desejo de buscar o que lhe faltou como forma de completar a vida quando chega a adolescência ou fase adulta.

Os Sinais da Dependência Emocional

Cuidado excessivo com o companheiro

Entre muita atenção e cobranças, é comum também que o parceiro programe o dia do companheiro, se antecipando para qualquer necessidade.

 O foco da felicidade se concentra em uma única pessoa

Não há possibilidade em sair, ou se divertir se não for acompanhado do seu parceiro.

Autoestima comprometida

A pessoa se sente inferior em tudo, se cobra muito, se humilha e não se acha merecedora do companheiro que tem.

O que o companheiro pensa de você é o que mais importa

A pessoa espera a avaliação positiva do companheiro para tudo o que faz, e ela depende da sua resposta para se sentir bem.

As emoções são reprimidas

Suas emoções, sonhos e desejos são reprimidos ao decorrer da vida e passa a viver a vida do outro.

Não defende sua própria opinião

Por receio de magoar ou perder o companheiro, suas próprias opiniões são reprimidas.

Controle compulsivo

Essa pessoa não aceita perder o controle de tudo que acontece com ela e com o parceiro, tentando sempre alterar algo que possa lhe causar desconforto. É muito comum desenvolver TOC.

O desejo do parceiro é mais importante

O sentimento de incapacidade de decisão reprime todos seus planos e por receio dele não ser aceito, há a preferência de descartá-lo.

Excesso de ciúme

Excesso de medo de ser trocado, abandonado ou que o parceiro encontre uma pessoa melhor, esse sentimento sufocará o companheiro na relação.

Para se sentir bem, é necessário que haja amor do outro

A falta de amor do companheiro cria a sensação de vazio e impotência.

Sentimento de negação

A pessoa espera que algum dia tudo ficará bem e ignora os problemas que surgem durante o relacionamento para não causar desconforto em falar sobre eles com o parceiro.

Sentimento de culpa

Se sente obrigado a fazer os outros felizes e quando acha que algo não está certo ou perfeito se culpa profundamente.

Oscilação de humor

Sente-se dependente e feliz no relacionamento, mas de repente passa a odiar, sentir raiva e isso gera discussões e vitimismo.

Maneiras de como se tornar menos dependente

Reconheça o seu valor

É necessário o trabalho para aumentar a autoestima, sem ela a pessoa não terá a capacidade de reconhecer o que realmente a faz importante no relacionamento, o que é excessivo ou que fortalece a relação.

Saiba identificar as suas necessidades emocionais

Não sobrecarregue o parceiro, se há a necessidade emocional de companhia, procure dividir o seu tempo com outras pessoas, como amigos mais próximos e familiares. Saia mais sozinho e procure um terapeuta para extravasar os problemas.

Aprenda a trabalhar o seu autocontrole

Mesmo com situações que você não possui o controle, lembre-se de que você tem o controle de si próprio. Suas ações e sentimentos não dependem somente dos outros para serem realizados.

Você não precisa de outra pessoa para viver o seu dia

Procure programar o seu dia sem depender do parceiro para realizar as tarefas. Assim você aumenta o seu círculo de amizades e não sufoca o companheiro. Aprenda a estar só.

É muito importante se libertar dos sentimentos destrutivos, pois mesmo em um relacionamento cada um tem sua individualidade. Não é saudável se apegar a outra pessoa para viver, então temos que solidificar nossas crenças e sonhos para que um companheiro seja alguém com quem possamos dividir o peso dos acontecimentos da nossa vida, não o objetivo dela.

Procure um especialista e aceite o seu problema, esse é o primeiro passo do tratamento, e tenha a certeza que se fortalecer individualmente só lhe trará crescimento pessoal e um relacionamento estável e feliz.

2 COMENTÁRIOS

  1. Olá, qual a forma eficaz de combater essa dependência?
    Tive um casamento de 40anos e quando tive que me separar por traição perdi meu chão, minha alegria de viver, fiquei como se alguém tivesse amputado o meu braço.
    A partir da separação nunca mais consegui ser feliz.
    E essa separação já faz dois anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.