Outubro Rosa: Câncer de mama e o impacto psicológico

outubro rosa

O câncer de mama é uma doença que atinge diversos aspectos, inclusive o psicológico.

Provavelmente você já viu algumas pessoas usando uma fita rosa perto do peito em formato de laço. É algo bem simples, mas que chama a atenção. A fita rosa está presente em anúncios e várias empresas a distribuem para os funcionários usarem. Isso faz parte das ações realizadas para o Outubro Rosa.

E o que é Outubro Rosa? Bem, trata-se de uma campanha internacional que ocorre durante todo esse mês e na qual procura conscientizar a sociedade sobre a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama. No dia 19 de outubro é celebrado o dia internacional do câncer de mama e o seu combate.

O câncer de mama tem cura, por isso, as ações realizadas visam a disseminação de informações sobre o tema e a importância das consultas médicas na prevenção da doença. Compreender, então, é fundamental, seja no aspecto físico, como no psicológico.

Câncer de mama: o que é?

Afinal, o que é o câncer de mama? De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), “o câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células da mama. Esse processo gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor”.

É fundamental conhecer mais sobre o câncer de mama, pois hoje ela é a doença mais comum entre as mulheres no mundo. Segundo os dados da Globocan 2018, foram calculados 2,1 milhões de novos casos da doença e 627 mil óbitos por ela.

Em relação aos dados do câncer de mama no Brasil, a situação é monitorada pelo INCA. Para 2019, as estimativas de incidência da doença são de 59,7 mil casos novos. O número representa 29,5% dos cânceres em mulheres, com a exceção do câncer de pele não melanoma.

 

“Saiba tudo sobre o câncer de mama aqui!”

 

O impacto psicológico do câncer de mama

Escutar “Você possui câncer de mama” dói. Essa frase já remete a toda dor e sofrimento que a pessoa irá passar durante o processo de tratamento da doença. A questão física fica evidente nesse contexto, entretanto, não é possível deixar o impacto psicológico de lado.

“O impacto psicológico começa pelo simples fato do diagnóstico. Quando o médico pronuncia a palavra ‘câncer’ esse já é o grande impacto. Automaticamente a pessoa já lembra de todos os casos ruins que ela conheceu. Então, ela pensa na dor, na morte, no sofrimento”, comenta a psicóloga clínica e hospitalar, Sonia Pittigliani.

A questão psicológica, então, precisa ser trabalhada. São mudanças drásticas na vida pessoa, que afetam a mente. O apoio de um profissional da área é fundamental para garantir que o indivíduo consiga passar por esse momento complicado, de forma mais tranquila possível. São transformações físicas que refletem no psicológico.

“Agende uma consulta com a psicóloga Sonia Pittigliani aqui!”

Nesse sentido, Pittigliani comenta que “quando se fala em câncer de mama, o impacto maior é na autoimagem e a questão do cabelo. Então, são dois impactos muito sérios que a mulher tem no corpo e isso se traduz na sua autoimagem, sua questão social e a sua questão de trabalho”.

A psicóloga, ainda, enfatiza a importância de a pessoa nessa situação continuar trabalhando, pois isso mantém ela ativa e diminui as perdas relacionadas a doença. Caso contrário, é possível que o indivíduo desenvolva outras questões mentais.

A transição de vida é difícil e, portanto, é até comum encontrar pessoas com problemas psicológicos. Entretanto, essa questão é muito prejudicial para à saúde, já que um estado de mente debilitado influencia na recuperação da doença.

“Isso faz com que o sistema imunológico tenha uma queda muito grande. Então, se você já está desfavorecido pela questão do adoecimento e se você está fazendo um tratamento que está abrangendo o seu organismo todo e isso baixa a sua imunidade, a questão emocional vai fazer com que o seu sistema imunológico baixe mais ainda”, ressalta Pittigliani.

Caso precise desse auxílio psicológico, ou conheça alguém que precise, saiba que a terapia é uma das mais importantes formas de tratamento. A Telavita pode te ajudar nessa luta. A plataforma online possui um leque de opções de profissionais capacitados e especializados. Agende uma consulta com um de nossos psicólogos e dê um passo para o início de seu tratamento.

LEIA MAIS: Como funciona a Telavita?

“Agende uma consulta com a psicóloga Sonia Pittigliani aqui!”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.