O suicídio – Um Momento de Impulso que Parece a Única Solução

0
2185
Cometer Suicídio

O suicídio continua sendo camuflado em conversas do dia a dia e ainda é visto como tabu e motivo de vergonha, condenação, sinônimo de loucura ou covardia. Mas não se pode fingir que este assunto não está presente em nossos dias e tentar de alguma maneira poupar filhos, familiares e amigos, pois algum deles pode precisar de ajuda psicológica mas não sabe como pedir auxílio por medo ou vergonha.

A estatística comprova que o suicídio é um sério problema de saúde pública: cerca de 804 mil pessoas se mataram no ano de 2012 em todo o mundo, isso representa uma taxa de 11,4 para cada mil habitantes – segundo o relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Casos com Repercussão Mundial

No ano de 2017  Chris Cornell e Chester Bennington impressionaram o mundo, após cometerem suicídio através de enforcamento, dado constatado em necropsia. Os familiares ficaram surpresos com o acontecimento e informaram que eles possuíam envolvimento com drogas e enfrentavam depressão, a qual não conseguiram solucionar ao longo dos anos. Cornell deixou 3 filhos, e se suicidou em um banheiro do Hotel que estava hospedado.

Outro caso que impressionou foi do Ator Robin Williams. Sua mulher, Susan Schneider  testemunhou os comportamentos e os problemas de saúde que Williams enfrentava. Além de depressão, o ator possuía ansiedade e demência com corpúsculos de Lewy (DCL). Schneider declarou para a revista People:

 “A depressão não matou Robin. A depressão foi um dos 50 sintomas que ele padecia.”

Vendo situações como estas, muitas pessoas pensam em relação ao caso com vários questionamentos: por que uma pessoa com tanta estabilidade financeira, com tantos fãs e uma vida artística incrível, chegaria ao ponto de deixar o sucesso, a família e cometer suicídio?

Entendendo Mais Sobre o Suicídio

O suicídio não tem explicação objetiva e clara, mas pressupõe que originam de combinações de fatores biológicos, emocionais, socioculturais, filosóficos e até religiosos que, embaralhados se resultam em numa manifestação contra si mesmo. O psicológico fica descontrolado e o indivíduo não consegue achar outra solução a não ser, por um fim em sua própria história e sua vida.

Quem ameaça cometer suicídio, não está blasfemando nem procurando chamar a atenção, ele está de fato a um passo de agir. Essa pessoa tem a plena consciência de que as atitudes que tomará contra a própria vida podem sim dar certo, na realidade ela espera que isso aconteça.

Neste estágio somente o suporte da família e de profissionais podem contornar a fatalidade anunciada. Pois, na mente de quem deseja encontrar a solução na morte, somente o apoio de pessoas queridas não será suficiente para impedi-lo de cometer algo contra a própria vida em um momento de profundo sofrimento.

O suicídio então, torna-se um meio de expressão, uma fala que não pode ser dita. Ele é um adeus de uma pessoa que desistiu de tentar superar os acontecimentos que as rodeiam, e da forma que enxergam a vida é: extrema, insuportável e profunda. Sendo um mundo totalmente sem razão.

É Importante Observar

1- Observe as frases

Existe um mito de que pessoas que falam em suicídio só o fazem para chamar a atenção dizendo diversas frases, como: “não aguento mais”, “eu queria sumir” e “eu quero morrer”. E que esses indivíduos não pretendem de fato, terminar com suas vidas. A verdade é que essas frases em momentos de sofrimento particular, são as expressões da verdadeira vontade da pessoa, as quais darão à ela a motivação no momento em que achar a oportunidade de executar o que é desejado.

2- Mudanças na vida e traumas

Todo mundo passa por mudanças na vida e alguns indivíduos carregam traumas em relação à essas mudanças.

Ao se notar que alguém perde o interesse sobre coisas pelas quais ela havia paixão no passado, é importante que haja diálogo para descobrir o motivo da mudança e o que a levou à esta situação atual, talvez uma palavra amiga já a auxiliará a encontrar um esclarecimento que por si só não havia percebido.

3-  Depressão e drogas

É importante observar os comportamentos em relação à depressão e drogas, pois segundo os dados sobre suicídio, a maioria das pessoas que tomam essa atitude estão envolvidas com o uso de substâncias psicoativas. Lembrando que quando falamos de drogas, nos referimos também ao tão comum álcool.

Para essas pessoas, esse tipo de substância ameniza o peso dos problemas que enfrentam e as dão força de alguma maneira. Contudo, essa força pode ajudar a realizar de fato o que passar em sua mente, inclusive o suicídio.

4 –Adolescência e o “mau humor”

Muitas vezes o comportamento dos adolescentes em relação à vida, pode parecer normal quando pensamos no senso comum. Entretanto, é muito importante que haja atenção sobre esse comportamento, se isolar do mundo ou até mesmo a rebeldia podem indicar outro caminho que não seja somente a crise desta idade.

5 – Atitudes e comportamento

A depressão ainda continua sendo a causa mais severa para o suicídio. Por isso é preciso prestar atenção em atitudes que pouca autoestima e desinteresse  pela vida ou em relações com outras pessoas.

Ainda que a pessoa apresente melhoras, a observação sempre é válida, pois não sabemos se essa atitude não dará abertura para o suicídio.

Muitas pessoas enfrentam problemas psicológicos, sociais, financeiros, religiosos, familiares e emocionais. E precisam de ajuda para que superem e consigam retornar a vida normalmente. Se há o mínimo indício de que alguém querido está passando por esse momento de dificuldade, é de extrema importância uma avaliação psicológica e se necessário um tratamento para que o melhor dessa pessoa seja resgatado para a sua própria consciência.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.