Coisas para não fazer na terapia

0
753
terapia

A terapia é um procedimento de autoconhecimento e que permite o crescimento e tratamento de transtornos psicológicos. Dessa forma, é fundamental entrar na sessão com comprometimento e procurando a melhora.

Nesse sentido, estudos já comprovaram por diversas vezes a sua competência e, por isso, a terapia vem ganhando cada vez mais destaque dentro da sociedade. Aliás, o tratamento psicológico é eficaz em 80% das vezes para condições mentais mais comuns.

Entretanto, existem algumas coisas que podem atrapalhar o desenvolvimento dessa atividade. Sendo assim, precisamos entender o que podemos fazer para superar tais barreiras, de modo a conseguir potencializar o trabalho do psicólogo e a nossa melhora.

Usar celular durante a terapia

A distração durante a terapia pode atrapalhar bastante o tratamento. Durante o período da sessão, é fundamental que a pessoa esteja ali realmente presente e engajada no procedimento, pois, somente assim, ele será o mais eficiente possível.

LEIA MAIS: Como é uma sessão de terapia?

Quando existe essa distração, perdemos a nossa concentração e dissipa o que está sendo trabalhado pelo psicólogo. Nesse sentido, é valioso separar de fato uma hora durante a semana para ter foco total no que realmente te interessa: você mesmo.

Dar alta sozinho

Simplesmente parar de fazer terapia e não avisar o psicólogo pode ser algo muito perigoso. Sim, geralmente, temos uma noção do progresso durante o tratamento, porém, isso não pode ser feito de forma abrupta. Afinal, existem casos em que cortar as sessões pode fazer muito mal para a pessoa.

Então, caso entenda que está chegando num momento de parar o procedimento, você pode conversar sobre isso com o seu terapeuta. Aliás, será uma ocasião de crescimento e o profissional poderá passar suas impressões sobre o seu progresso, além de incentivar ou não tal medida – sempre embasadas, é claro.

Não precisamos necessariamente concordar com tudo o que é dito pelo psicólogo. Entretanto, existe uma diferença entre discordar e conversar sobre o assunto para simplesmente rebater o que foi trazido.

A relação entre o terapeuta e o paciente precisa ser boa. Aliás, é primordial ter confiança de ambas as partes para que o trabalho seja realizado com sucesso e o tratamento caminhe bem. Então, entrar em conflito com o profissional é uma atitude que somente prejudica todo o procedimento.

LEIA MAIS: Será que tenho algum transtorno psicológico?

Questionar é válido e interessante, principalmente, para alinhar o que está sendo trabalho e alcançar melhores resultados. Portanto, procure estar junto com o seu psicólogo durante essa caminhada e não o trate como um inimigo.

Mentir na terapia

A mentira é uma das piores coisas que podem acontecer durante uma sessão de terapia. Às vezes, tal mecanismo pode ser utilizado como uma defesa para evitar julgamentos e constrangimentos, entretanto, ela vai contra exatamente o que o procedimento propõe.

O psicólogo é um profissional treinado para acolher e escutar com empatia, dessa forma, irá procurar entender o seu ponto de vista sem fazer qualquer juízo de valor. O terapeuta está ali para ajudar o paciente, portanto, precisa saber de todos os detalhes – até mesmo os mais vergonhosos.

Não fazer a “lição de casa”

O tempo que passamos dentro da sessão de terapia é fundamental. Falamos sobre nossas experiências e sentimentos e o psicólogo nos ajuda a trabalhar os pontos em que podemos melhorar. Tudo isso é ótimo, mas a melhora não pode vir somente no dia e horário da consulta.

Dessa forma, é fundamental que a pessoa se esforce também durante a semana e, principalmente, tente realizar as “lições de casa” que o profissional pode passar. Essas atividades ajudam e muito na evolução do paciente e permitem explorar os limites de cada um.

LEIA MAIS: A diferença entre conversar com um psicólogo e um amigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.