Saiba o que é Sexologia e quebre o Tabu sobre o Sexo!

0
4849
estudo sobre sexo

O sexo é uma das bases de nossos laços e relações humanas. Mas qual o porquê de tanto medo em tocar no assunto

Falar de sexo sempre foi tabu. Embora hoje os preconceitos acerca do tema tenham diminuído, ainda existe uma parcela da sociedade que não pesquisa, se aprofunda ou tem interesse em saber mais de um dos alicerces de nossas relações humanas.

Para o médico psiquiatra brasileiro Flávio Gikovate, especialista em sexologia humana, ainda falta muito para nos livrarmos dos preconceitos que circulam em torno do sexo e de sua prática. Gikovate, dono de diversos títulos publicados sobre o assunto, sempre teve como preocupação desmistificar o tema e trazê-lo de forma didática e familiar para o público.

Ele afirma que muitos desses preconceitos têm origem na maneira conservadora com que olhamos para o sexo: “Assim, sexo e amor continuam a ser entendidos como parte do mesmo impulso instintivo, quando, na verdade, são impulsos autônomos – e não raramente antagônicos”, explica o médico.

O que é Sexologia?

O sexo está presente na vida do homem desde a sua origem. Nada como uma área específica para estudar a fundo a psicologia humana por trás das manifestações sexuais. A esse área deu-se o nome “sexologia”.

Ela estuda o comportamento, pensamento e emoção humana com foco no desenvolvimento sexual e nos aspectos fisiológicos, psicológicos, médicos, sociais e culturais em que eles atuam. Ela atua nos conhecimentos sobre o sexo e a saúde, prevenção de doenças, controle de natalidade, disfunções, entre outros.

O estudo científico do sexo e da sexualidade datam desde o período grego, onde a curiosidade pelo tema já  ocupava a mente e os pergaminhos dos antigos gregos. Mas a sexologia como ciência, tal como o termo “sexologia”, foi consolidado no fim do século XIX, com a publicação de importantes livros sobre o assunto: 

  • Psychopatia sexualis de Richard von Krafft-Ebing, lançado em 1886;
  • Libido sexualis de Albert Moll, lançado em 1897;
  • Estudos de psicologia sexual de Havelock Ellis, também lançado em 1897.

Sexo x Sexualidade

Termos muito confundidos entre os leigos, sexo e sexualidade têm diferença. Entende-se por “sexo” as características físicas e fisiológicas que diferem o feminino do masculino. A sexualidade, entretanto, é a conexão afetiva. São as sensações, descobertas, experiências e o prazer gerado a partir delas.

“A sexualidade um aspecto central do ser humano do começo ao fim da vida e circunda sexo, identidade de gênero e papel, orientação sexual, erotismo, prazer, intimidade e reprodução” (…) “é multidimensional – influenciada pela interação de fatores biológicos, psicológicos, sociais, econômicos, políticos, culturais, éticos, legais, históricos, religiosos e espirituais.” –  Organização Mundial de Saúde (OMS), 2002.

Sexólogo: Quem é esse profissional?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) a sexualidade é “A integração de elementos somáticos, emocionais, intelectuais e sociais do ser sexual que, por meios que são positivamente enriquecedores, realçam as pessoas, a comunicação e o amor”. Mas e quando estes elementos estão com problema? É aí que entra o sexólogo!

O sexólogo é o profissional da sexologia que estuda as causas emocionais que geram dificuldades de praticar o sexo na relações do indivíduo e na sintonia entre casais. Ele investiga as origens, entende as causas e oferece ferramentas para solucionar os problemas de cada indivíduo, respeitando as suas particularidades e trabalhando suas limitações.

A fim de estudar melhor cada caso relacionado à sexualidade humana, o sexólogo investiga em áreas como psicologia, história, sociologia, biologia e estudos de gênero possíveis origens para as disfunções e problemas emocionais que acometem seus pacientes. Eles também levam em consideração os aspectos sociais, culturais e religiosos.

A vida sexual é influenciada por muitos fatores como estresse, doenças mentais, insegurança, medo, baixa autoestima e religião. Os profissionais que cuidam das disfunções podem ser da área da medicina ou psicologia. Eles têm conhecimento para tratar doenças físicas e psíquicas.

É importante procurar um sexólogo para responder perguntas sobre sexo, vida e receber o auxílio necessário para solucionar tais questões.

Tipos de sexólogos

Sexólogo Clínico

Estuda e trata as questões ligadas a disfunções, distúrbios e variações. Algumas das queixas mais comuns são:

  • Baixo desejo sexual
  • Disfunção erétil
  •  Pré-orgasmo
  • Intercurso doloroso, como o vaginismo
  • Ejaculação  precoce

Através de técnicas psicoterapêuticas, o sexólogo clínico também trabalha com a educação sexual e o aconselhamento de casal.

Sexólogo Forense

É especializado em tratar transtornos da sexualidade, parafilias e problemas sexuais originados através de traumas.

Terapia Sexual

É mais focada na sintonia sexual do casal e no conhecimento e desenvolvimento sexual individual. Tem como objetivo proporcionar melhoras da sexualidade como um todo: fisicamente, psicologicamente e emocionalmente.

Além disso, a terapia sexual auxilia na comunicação com o(a) parceiro(a) e no tratamento de problemas psicológicos. Quando há problemas físicos, o encaminhamento para o médico é recomendado.

A terapia sexual não existe somente para quem está com problemas! Ela também ajuda o indivíduo a conhecer melhor o seu próprio corpo e obter recursos para aprimorar sua sexualidade e vida sexual.

Sexologia e Psicologia

A sexualidade influencia diversos aspectos da nossa vida: os pensamentos, sentimentos, ações, laços e a saúde física e mental. É por isso que é um tema muito abordado entre os psicólogos e psiquiatras.

O médico neurologista e importante psicólogo austríaco Sigmund Freud (1856-1939), considerado o pai da psicanálise,  foi o primeiro a investigar as causas das disfunções e problemas relacionados ao sexo. Ele recebia diversos adultos se queixando de problemas. Sua alternativa, então, foi investigar as origens na infância.  Ele foi o primeiro teórico a falar sobre a sexualidade infantil e a tecer estudos essenciais para a compressão da psicologia do sexo.

De acordo com o psicanalista, a sexualidade nos acompanha desde o
nascimento até a morte.  Para ele, o descaso com a sexualidade na infância prejudica a formação do indivíduo e abre alas para  o surgimento de transtornos emocionais. Tais transtornos, se internalizados, podem dar origem às neuroses.

Disfunções

“A saúde sexual é um estado de completo bem-estar físico, emocional, mental associado à sexualidade e não só à ausência de doença ou enfermidade” (OMS).

Saúde e Sexologia estão intimamente ligadas. É vital que o cuidado exista em cada momento da vida, especialmente nessa área tão pessoal e que reflete em todas os outros setores da vida.

Disfunções sexuais femininas

  • Desejo sexual hipoativo;
  • Aversão sexual;
  • Pertubação de excitação sexual;
  • Pertubação do orgasmo;
  • Dispaurenia;
  • Anorgasmia;
  • Vaginismo.

Disfunções sexuais masculinas

  • Perturbação de desejo sexual hipoativo;
  • Disfunção eréctil;
  • Ejaculação precoce;
  • Anejaculação;
  • Ejaculação retrógrada;
  • Ejaculação asténica;
  • Ejaculação retardada;
  • Inibição do orgasmo masculino;
  • Dispaurenia.

Sexologia Online

atendimento psicológico online já é permitido desde 2012, porém anteriormente estava limitada para 20 sessões e focada em algum objetivo a curto prazo, como o término de um relacionamento, por exemplo.

Mas, com a resolução 11/2018 do CFP, a terapia online está totalmente liberada, sem restrições. Com isso, fica mais fácil acessar o profissional, onde quer que ele esteja.

A sexologia e terapias sexuais também poderão ser acessadas online, onde o profissional dará todo o apoio necessário, da mesma forma que o atendimento presencial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.