5 sinais de transtorno alimentar: anorexia e bulimia

0
721

As perturbações do transtorno alimentar compulsivo podem ser reflexo, principalmente, de diversos problemas sócio-culturais e familiares que causam efeito no psicológico do paciente. A procura na comida aparece como uma maneira de aliviar a pressão mental ou, então, como a culpada por seus problemas e sua baixa autoestima.

Há diversos tipos de classificação para esses distúrbios, em que pode ocorrer a perda ou o ganho excessivo de peso. Os mais comuns são anorexia e bulimia, mas, não se engane, obesidade é transtorno alimentar também.

O transtorno alimentar na adolescência é o mais comum, pois essa é a fase da vida em que a procura da aceitação da sociedade é mais árdua. A vulnerabilidade emocional é o gatilho para o descontrole alimentar.

Mesmo assim, ainda é possível encontrar casos de transtorno alimentar infantil e até mesmo de transtorno alimentar noturno. Independentemente do tipo, o distúrbio é perigoso para a saúde da pessoa.

Saber como lidar com transtorno alimentar é fundamental. Por isso, as pessoas devem começar o tratamento o quanto antes. Somente o acompanhamento de um profissional qualificado conseguirá auxiliá-las a encontrarem novamente uma visão correta de seu estado de saúde física e psicológica.

Sempre existem sinais do que está acontecendo. É preciso estar atento a comportamentos que parecem normais e saudáveis, pois o que causa transtorno alimentar não é facilmente detectável.

1. Flutuação no peso

A mudança significativa do peso é um bom indício de transtorno alimentar. A pessoa consegue num curto período de tempo perder muitos quilos e, ainda, não parece satisfeita com o resultado final. A briga com a balança vira uma obsessão e não parece ter resolução.

A perda ou ganho de peso é normal, porém quando ela é agressiva e acontece de forma rápida, acaba prejudicando a saúde da pessoa. Por isso, é importante saber como tratar o transtorno alimentar. O apoio das pessoas próximas é importante, mas o acompanhamento psicológico é o que de fato irá ajudar a pessoa a recuperar os hábitos normais.

2. Prática exagerada de exercícios

A prática de exercícios em excesso pode dar uma dica sobre a real condição da pessoa, principalmente, se ela não tinha o hábito dessas atividades. A busca do corpo ideal vira uma jornada sem fim.

Nesse caso, vale ficar atento para a intensidade dos treinamentos e frequência, pois o nível deles podem indicar o quão compulsiva está a pessoa para atingir o objetivo dela. Também, fique de olho nos hábitos alimentares da pessoa, porque, caso ela esteja passando por uma dieta restritiva, a combinação pode ser bem perigosa.

3. Preocupação excessiva com a aparência

Os sinais aqui são mais sutis, porém fáceis de identificar. A pessoa constantemente reclama de estar gorda – mesmo quando o sobrepeso não é real -, checa o peso na balança várias vezes e observa o corpo no espelho por um bom tempo.

O acompanhamento psicológico é indicado para a questão. O quadro de baixo autoestima faz com que a pessoa não enxergue o corpo como desejaria, mesmo nos casos em que ela já esteja com o peso considerado ideal. O tratamento irá ajudar a pessoa a retomar a confiança em si mesma, além de trabalhar a própria imagem de maneira não agressiva.

4. Alterações no humor

Ansiedade e transtorno alimentar andam lado a lado. Assim como agressividade, irritabilidade e até mesmo depressão. Esses são alguns indícios comuns de alguém que sofre com transtorno alimentar. Não é possível verificar quais desses pontos a pessoa irá desenvolver, porém uma mudança mais drástica no comportamento é um bom indicativo.

Outro ponto de atenção é o isolamento social. A pessoa com transtorno alimentar sente vergonha e culpa dos seus atos, por isso, procura um lugar para fugir das outras pessoas. Dessa forma, ela tenta evitar o contato ao máximo e começa a inventar desculpas para não socializar, principalmente, quando o assunto for comida, como almoço ou jantar.

5. Indução de vômitos e abuso de laxantes

O sinal mais agressivo, também é aquele com mais acobertamento, por isso, preste atenção nas pequenas deixas que a pessoa apresenta. Longas idas ao banheiro ao longo do dia e, especialmente, com algum barulho acontecendo, como de água correndo, podem indicar que a pessoa tenta esconder algo.

O ponto em questão é perigoso por conta de sua natureza violenta contra o próprio corpo. Não há restrição e é o último recurso que a pessoa utiliza para chegar no objetivo. Então, como ajudar alguém com transtorno alimentar? Nesses casos, é fundamental o acompanhamento psicológico, pois ele irá ajudar a combater esses sintomas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.