Conheça mais sobre a gamofobia – O medo excessivo por compromissos

0
4063
gamofobia

A gamofobia é um problema sério que afeta milhares de homens e mulheres

É normal ter medo de casar, principalmente, nos dias mais próximos da cerimônia. Trata-se de um passo muito grande na vida das pessoas e é comum ter um “frio na barriga” quanto a essa escolha.

Entretanto, essa sensação é muito diferente da fobia de casamento, ou seja, um medo de se relacionar tão intrínseco que impede e paralisa a pessoa de prosseguir com aquilo. Sendo assim, é importante reconhecer quando existe o medo de compromisso e a fobia de relacionamento.

“Estou com medo de casar e agora?”. Bem, acompanhe o artigo e descubra se você pode se encaixar no quadro da gamofobia. De qualquer forma, vale ressaltar que é possível resolver essa questão com ajuda de um profissional capacitado, mas iremos tratar sobre isso no momento certo.

O que é gamofobia?

Para compreender o significado do termo, precisamos identificar sua origem. A palavra “gamofobia” vem do grego “phobos” (medo) e “gamos” (casamento). Portanto, ela pode ser compreendida como o medo de casar.

Dessa forma, esse problema se expressa em um sentimento descontrolado e irracional de que as relações se tornem futuramente um casamento. Devemos ter em mente que esse é um medo tão grande e intenso que impossibilita um relacionamento saudável.

LEIA MAIS: Como preservar um bom relacionamento

Essa doença afeta tanto homens como mulheres. Sendo assim, os indivíduos sofrem por diversos motivos e preferem passar a vida longe de situações que os levem para algum tipo de compromisso mais sério com outra pessoa.

Nesse sentido, as pessoas que tem medo de relacionamento se isolam, se escodem e cortam qualquer tipo de contato com aqueles que falam sobre a vida amorosa. Os temas sobre família e responsabilidade são evitados a qualquer custo também.

Além disso, não é somente o medo do compromisso na própria vida que os assombram. Outras situações, como fotos, mensagens, conversas e convites de casamentos também trazem aflição para essas pessoas.

Causas do medo de relacionamento

Então, o que causa esse medo de se envolver? Bem, não é possível delimitar com exatidão o que leva alguém a não querer permanecer em um relacionamento, entretanto, a ciência já demonstrou algumas possibilidades conjunturais da gamofobia.

Num primeiro momento, é possível relacionar esse tipo de medo com algum evento traumático no passado. Sendo assim, um relacionamento romântico infrutífero, traições e até perdas podem ser causas do medo de namorar e casar.

Além disso, experiências próximas também podem ter uma influência sobre essa questão. Nesse sentido, vivenciar uma separação dos pais ou mesmo conviver com casais de amigos com relacionamento problemático podem atrapalhar a visão do indivíduo sobre um futuro em conjunto com alguém.

LEIA MAIS: Como as redes sociais podem afetar a qualidade do seu relacionamento

Inclusive, questões psicológicas são capazes de influenciar o indivíduo a desenvolver a gamofobia. Então, questões de ansiedade e depressão avançadas e não tratadas são condicionantes fortes. Ainda, ter que lidar com o estresse e tensões do dia a dia podem piorar a situação das pessoas que tem medo de se relacionar.

Vale ressaltar também a possibilidade da genética ser um aspecto importante dessa equação. Então, a problemática pode ser um resultado de combinações amplificadas com o fator da própria condição da pessoa.

Características do medo de se apaixonar

Identificar a gamofobia pode não ser a tarefa mais fácil. Nesse sentido, o reconhecimento é um passo importante para conseguir ajuda profissional e tratar a questão. Dessa forma, torna-se fundamental prestar atenção aos sinais que esse medo incontrolável apresenta.

Sintomas psicológicos da gamofobia:

O medo de um relacionamento sério deixa diversas marcas no psicológico da pessoa. Então, é necessário compreender quais são esses sintomas que apresentamos. Confira abaixo:

  • Medo;
  • Terror ou desespero ao pensar em viver situações de compromisso;
  • Sensações de tristeza e desgosto frequentes.
  • Afastar-se de pessoas que são casadas;
  • Afastar-se de indivíduos que falam sobre casamento;
  • Incapacidade de afastar o medo;
  • Sensação de morte em pensar em um relacionamento sério.

LEIA MAIS: 5 sinais de um relacionamento abusivo

Sintomas físicos do medo de se apaixonar

Pode não parecer, mas o nosso corpo dá diversas demonstrações do que está acontecendo conosco. Sendo assim, é fundamental prestar atenção nos sintomas físicos da gamofobia. Confira abaixo:

  • Palpitação;
  • Falta de ar;
  • Náusea;
  • Dor no peito;
  • Tonturas;
  • Desmaios;
  • Choro,
  • Tremor;
  • Sensações que os fazem perder o controle.

Tratamento da gamofobia

Quando o medo do casamento ou qualquer tipo de compromisso passa a ser excessivo e se torna um desafio, é preciso que a ajuda psicológica seja levada em consideração. Nesse sentido, um profissional qualificado deverá identificar os motivos que desencadearam o problema e, consequentemente, tratá-los da melhor forma.

Pode parecer brincadeira, mas acredite: não é. Há pessoas que não assumem suas perturbações em relação ao assunto, e, por isso, se isolam e não criam vínculos de compromissos mais sérios por causa de fatores psicológicos difíceis de serem superados.

Dessa forma, a consulta psicológica é a melhor alternativa, porque assim o indivíduo terá a oportunidade de confiar seus medos e receios para alguém. Tal metodologia permite o indivíduo a tratar todos os traumas que estão em questão.

O início do tratamento é a parte mais importante de todo o processo. Afinal, para ele acontecer, o indivíduo deve assumir a doença e aceitar ajuda. Sendo assim, a pessoa precisa admitir que esta reação não é comum e nem benéfica para a sua vida. O tratamento é um passo à um caminho correto.

LEIA MAIS: Saiba como a terapia de casal online na Telavita pode ajudar em seu relacionamento

Além disso, é válido frisar a importância das pessoas mais próximas, sejam elas familiares ou amigos. Durante esse processo, eles ajudarão a construir uma base emocional capaz de ultrapassar a barreira do medo.

Entretanto, quando o caso é mais grave e o paciente apresenta sinais de ansiedade extrema, geralmente, é aconselhado a utilização de medicamentos. Nesse cenário, é fundamental a presença de um psiquiatra para avaliar a melhor forma de combater esse problema.

Para aqueles que estão em um relacionamento com alguém que possui gamofobia, é ideal que o parceiro(a) tenha ciência que precisará ser muito ativo em diálogos e incentivos para avançar no tratamento do companheiro(a).

É importante frisar: este é um problema que possui tratamento. Basta haver a aceitação do paciente e a procura por um profissional, pois ele pode adquirir maior qualidade de vida e desfrutar tranquilamente de um relacionamento amoroso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.