Vício em sexo é sinal de transtorno mental. Saiba mais sobre esse problema.

0
8256
viciado em sexo

Pensar “naquilo” o tempo todo pode não ser tão saudável quanto você pensa. Entenda o que é o vício em sexo e suas complicações.

O sexo é uma das bases de nossos laços e relações humanas. É a partir dele que temos contato com os nossos desejos mais íntimos e experiências das mais diversas. Mais importante ainda, passamos a ter contato com o nosso eu.

Desde os tempo dos gregos, o estudo científico do sexo e da sexualidade já existia e ocupava a mente e os pergaminhos dos filósofos. Porém, a sexologia como ciência, assim como o termo “sexologia”, só foi consolidada no fim do século XIX.

O que é vício?

Quando pensamos em vício, a primeira coisa que passa na mente é o abuso do álcool e das drogas. Só que, o que muita gente esquece, é que vício não é só isso. Uma série de fatores fazem desse problema algo muito mais profundo do que pensamos.

A palavra vício vem do latim “vitium” e significa “falha ou defeito“. Para o dicionário Aurélio, a definição de vício é: tornar mau, pior, corrompido ou estragado; alterar para enganar; corromper-se, perverter-se, depravar-se. Já para a Organização Mundial da Saúde (OMS), é uma doença física e psicoemocional.

Vício para a psicologia é muito mais do que uma simples falha. A área investiga  as consequências, motivações, origens e características do vício e de seus dependentes. Ela compreende o vício como um mecanismo de fuga emocional que visa a obtenção de prazer e extinção da dor.

O que é desejo sexual?

Vamos deixar o romantismo de lado por enquanto e entender o desejo sexual sob a ótica científica. Os cientistas entendem o desejo sexual como um fenômeno bioquímico. Isso desencadeia inúmeros processos no organismo, como alterações hormonais, surgimento de emoções e descompasso que pode ser observado na agitação física, como coração acelerado, pernas bambas e euforia.

Quando esse desejo inflama e passa dos limites, entra em conflito com os fatores psicológicos também em disfunção. A união desses dos fatores cria o vício em sexo.

Origens da Compulsão Sexual

Na mitologia grega, as ninfas eram espíritos da natureza na forma de belas figuras femininas que, dentre outras coisas, representam a fertilidade e fecundidade da natureza. Os sátiros são seres da natureza cuja forma é  metade humana (sempre masculino) e a outra metade bode e representam grande potência sexual. 

As ninfas e os sátiros frequentemente se relacionavam em cortejo de Dionísio (Baco), o deus grego do vinho, das festas, da fecundidade e libido. Resgatando as raízes gregas, a compulsão sexual dos homens é chamada de satiríase, em alusão aos sátiros, e ninfomania, ás ninfas.  

O vício em sexo

O que muita gente confunde é que a patologia não se resume a ter muitas relações sexuais por semana, e sim a dificuldade que o indivíduo tem de pensar em outra coisa que não seja sexo. O desejo sexual passa a guiar a vida da pessoa viciada em sexo, fazendo-a desfocar de tudo o mais que a cerca em prol da realização do desejo.

O desejo de sexo a todo tempo, conhecido como compulsão sexual, afeta o indivíduo em todos os aspectos de sua vida, seja em sua produtividade no trabalho ou na relações sociais, principalmente com o(a) parceiro(a), que também sofre muito com o distúrbio.

Em 2018, a Organização Mundial da Saúde (OMS) atualizou o seu catálogo de doenças e reconheceu o comportamento sexual compulsivo como transtorno mental. Isso foi um grande passo para a divulgação de informação e, consequentemente, do diagnóstico e tratamento adequados para os viciados em sexo.

Satiríase

Esse transtorno psiquiátrico é caracterizado pelo excesso de apetite sexual sem alterações biológicas consideráveis para justificar os desejos e consequentes ato, ou seja, o distúrbio tem origens psicológicas.

O comportamento do homem viciado em sexo, ou satiríaco, são obsessivos, impulsivos e compulsivos. 

Satiríase: sintomas

  • Excesso de masturbação durante o dia (mais de uma vez);
  • Desejo e necessidade constante por relações sexuais;
  • Relações sexuais nem sempre ligadas por laços afeitos;
  • Recorre sempre à pornografia e objetos sexuais;
  • Imensa dificuldade em estabelecer e manter laços emocionais;
  • Sentimento de culpa depois do ato sexual;
  • Uso compulsivo de aparelhos sexuais;
  • Excesso de masturbação durante o dia (mais de uma vez);
  • Trocas frequentes de parceiros sexuais;
  • Dificuldade para sentir prazer após a relação.

Ninfomania

Ninfomaníaca é a mulher viciada em sexo. Esse transtorno psicológico tem comportamento característico a compulsão sexual. Junto na bagagem, vem o sentimento de culpa após o ato sexual e, em muitos casos, pode surgir depressão e ansiedade

A compulsão por sexo nas mulheres pode apresentar os mesmos sintomas da satiríase.

Tratamento para quem é viciado em sexo

O  acompanhamento psiquiátrico e psicológico é o tratamento adequado para os casos de vício sexual (satiríase e ninfomania). O excesso de líbido e pensamentos obsessivos são investigados e analisados quanto a suas origens e impactos na vida do compulsivo por sexo.

Existe a possibilidade da prescrição de medicamentos, como antidepressivos. Mas tudo depende do quadro do paciente e da análise do especialista.

O vício em sexo é um problema sério e precisa ser encarado não como algo normal da sexualidade humana, mas sim como um distúrbio. E, como todo distúrbio, ele precisa ser tratado de forma adequada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.