O que é crise de ansiedade?

0
1213
crise de ansiedade

A crise de ansiedade afeta a qualidade de vida das pessoas, mas pode ser tratada

Ela pode começar como uma simples dor no peito ao respirar, porém, logo aparecem os demais sintomas. O coração fica acelerado do nada e a garganta fecha. A sensação de falta de ar e o tremor no corpo tomam conta da situação. O desmaio parece iminente e a crise de choro irrompe. A crise de ansiedade chegou.

Compreender como é uma crise de ansiedade pode não ser tão simples através do uso das palavras, mas a experiência, com certeza, deixa marcas. A insegurança e o medo de que novos episódios ocorram não deixa que o indivíduo esqueça as sensações.

LEIA MAIS: Você é ansioso? Conheça aqui 5 dicas para combater a ansiedade

Aliás, isso pode ser mais comum do que imaginamos. O Fórum Econômico Mundial estima que 275 milhões de pessoas no mundo convivem com transtornos de ansiedade. E as crises atuam também como reflexos desses distúrbios mentais.

Entretanto, os eventos não podem ser um impeditivo para viver. Por conta disso, é necessário entender melhor sobre o que é essa situação e como controlar a crise de ansiedade. Inclusive, existem tratamentos possíveis que melhoram a condição dos indivíduos.

Então, vamos conhecer melhor sobre o que é uma crise de ansiedade.

O que é crise de ansiedade?

Apesar da conotação negativa, a ansiedade é um estado mental importante e positivo. O sentimento é responsável por ser um sentido de alerta e, dessa forma, ajuda a pessoa a se preparar corretamente para um perigo iminente. A preocupação é a sua tônica e, quando ocorre de forma exagerada, pode levar até o ataque de ansiedade.

Logo, a crise de ansiedade é uma reação emocional extrema. Ela serve como um alarme para o corpo e chega, também, a causar medo. Geralmente, ocorre em momentos de estresse ou em acontecimentos traumáticos.

LEIA MAIS: Confira 7 perguntas e respostas sobre ansiedade!

Crise de ansiedade: sintomas

Então, como saber se estou tendo uma crise de ansiedade? Bem, para isso é necessário ficar atento a diversos sinais que o corpo e a mente demonstram. Antes do evento, é possível perceber pequenos indícios de que ele irá ocorrer.

Portanto, ter conhecimento dos fatores que levam até o ataque é fundamental, pois somente assim a pessoa poderá identificar o ocorrido e procurar a ajuda necessária para tal. Reconhecer isso amplia as chances de tratamento do indivíduo.

Dessa forma, confira abaixo quais os sintomas de crise de ansiedade:

Sintomas da crise de ansiedade: físicos

– Insônia;

– Tremedeira no corpo;

– Coração acelerado;

– Tensão muscular;

– Chorar sem motivo;

– Sentir a garganta fechando;

– Dor no peito e falta de ar;

– Calafrios;

– Formigamentos;

– Náusea;

– Sudorese;

– Tontura e sensação de desmaio.

Sintomas de crise de ansiedade: psicológicos

– Falta de concentração;

– Preocupação excessiva;

– Irritabilidade;

– Sensação de irrealidade;

– Nervosismo;

– Despersonalização;

– Medo constante.

LEIA MAIS: 5 sintomas de Ansiedade – O Transtorno de Ansiedade é mais comum do que parece

Crise de ansiedade: o que fazer

Vivenciar um ataque não é algo fácil. Além da situação momentânea ruim, a pessoa precisar lidar com o medo da possibilidade de um futuro evento. Sabendo disso, é importante ter uma certa preparação caso o indivíduo chegue numa condição extrema novamente.

Por isso, saber como controlar uma crise de ansiedade é fundamental. Sendo assim, é possível observar algumas técnicas e lições que podem ajudar a pessoa a passar por essa situação de forma mais tranquila.

Conheça mais sobre o que fazer em uma crise de ansiedade:

– Foque na respiração: é importante tentar controlar a respiração. Inspire e expire lentamente para diminuir a sensação ofegante. Ao fazer isso, você irá levar mais oxigênio ao cérebro e reduzir o estresse e o sentimento de asfixia.

– Relaxe os músculos: procure a leveza do corpo. A crise tensiona os músculos, o que traz dores, desconfortos e intensifica o estresse. Portanto, é necessário relaxar e soltar a musculatura aos poucos. Realize esse método aos poucos e de forma devagar.

– Distraia a mente: a adrenalina toma conta do corpo e é muito difícil não prestar atenção aos diversos sentidos e pensamentos que está vivenciando. Entretanto, é importante procurar se distrair para conseguir organizar a mente. Procure conversar com alguém ou ficar contando repetidamente de 1 a 10.

Crise de ansiedade: como tratar

E, afinal, como ajudar alguém com crise de ansiedade? A principal forma de socorrer essas pessoas é através de tratamento. Sim, é possível melhorar essa condição com as ferramentas adequadas em mãos.

Mas, a crise de ansiedade tem cura? Bem, não é seguro falar propriamente de cura, porém ao adentrar nos procedimentos corretos ocorrerá a remissão dos sintomas. Então, é até possível que o indivíduo pare realmente de vivenciar tais ataques.

Em relação a como tratar crise de ansiedade, o mais recomendado é procurar um acompanhamento psicológico. A terapia é capaz de identificar as causas e motivações que estão levando aos ataques. Ainda, é um espaço de autoconhecimento que permite a reflexão e o crescimento pessoas.

LEIA MAIS: Pressão e ansiedade? Saiba como a terapia online na Telavita pode te ajudar

Ainda, o psicólogo é o profissional responsável por compreender os gatilhos que causam essas crises. Ele está munido de técnicas e práticas capazes de ajudar o paciente a lidar melhor com as situações extremas.

Durante as sessões, o indivíduo irá aprender mais sobre si mesmo, além de desenvolver defesas mentais capazes de proteger a mente contra eventuais infortúnios. Então, através do tempo, também será capaz de reconhecer com mais facilidade os sintomas da crise e como combate-los.

Também é possível que seja realizado um tratamento medicamentoso. Entretanto, somente a figura do médico é capaz de receitar prescrições capazes de ajudar a pessoa a superar esses ataques de ansiedade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.