Traição: o que é e como lidar com a infidelidade

traição

A traição deixa cicatrizes. E o pior, ninguém consegue vê-las. Porém, é possível perceber os seus vestigíos no dia a dia. Olhar nos olhos da pessoa é difícil. Confiar, então, passa a ser uma tarefa quase impossível.

Afinal, trata-se de uma quebra de contrato na relação e gera muita dor para os envolvidos. Nesse sentido, o abalo emocional é somente um dos componentes presentes, pois, ainda é necessário lidar com as consequências do ato.

E saber lidar com toda essa questão não é fácil. Aliás, é complicado pedir racionalidade em uma situação traumática, afinal, o elo afetivo sofreu um choque. A infelidade extrapola a ação em si e é preciso de um tempo para compreender isso.

Agende agora uma consulta com psicólogo

O que é traição?

A traição é o ato de ser infiel ao cônjuge ou parceiro. Normalmente, isso significa se envolver em relações sexuais ou românticas com outra pessoa que não seja o companheiro, assim quebrando o compromisso firmado entre os dois. 

Este é um tema muito delicado, pois existem muitas questões a serem compreendidas. Por conta disso, é necessário calma e paciência para entender todos os âmbitos da questão. A impulsividade pode somente piorar a situação.

Aliás, cada caso de traição é diferente e preenche uma necessidade diferente. A infidelidade varia entre casais e entre parceiros em um relacionamento. Por exemplo, existem casais que só consideram traição quando existe uma conexão emocional com a outra pessoa. 

LEIA MAIS: Ciúmes: descubra quando o excesso se torna uma doença

A dor da traição

Quando a infidelidade acontece, a pessoa traída passa por um período de luto. A dor é semelhante a morte de um ente querido e as emoções são tão intensas que podem causar um trauma emocional.

Além disso, é possível perceber, que a descoberta de uma traição pode mudar a visão sobre relacionamentos. Dessa forma, é comum a pessoa passar a desacreditar no amor ou não ver mais sentido em relacionamentos longos.

Para a maioria das pessoas, o processo de superação e cura da traição tende a ser longo. Dependendo das reações da pessoa traída, pode ser menos dolorido e demorado. Porém, dificilmente é feito sem, pelo menos, um pouco de dor emocional.

A questão da confiança fica abalada e as perspectivas e planos para o futuro também são danificados. Entretanto, entender as causas da infidelidade também podem ajudar a pessoa traída a se sentir mais confiante em superar a situação.

A dor que se sente na traição não diminui ao saber dos motivos que levaram o parceiro a trair, porém ser capaz de analisar o comportamento racionalmente e defini-lo, ajuda a resolver parte da confusão.

Conheça a clínica de terapia online Telavita

Por que as pessoas traem?

Traições podem acontecer tanto em casamentos felizes, quanto em relações conturbadas. Aliás, são várias as razões que motivam as pessoas a serem infiéis. Apesar de termos o desejo de ver quem trai com maus olhos, é preciso lembrar que todos nós somos passíveis de cometer erros. 

Nem sempre a pessoa que trai quer arruinar a vida do parceiro ou fazê-lo sofrer. Por mais difícil que seja enxergar a infidelidade no relacionamento sem a influência das emoções, precisamos analisar cada caso e de acordo com a sua realidade.

Inclusive, muitos fatores podem contribuir para a infidelidade. Entre eles, podemos citar: a falta de afeto por uma das partes, a perda de carinho e cuidado um com o outro, o desequilíbrio no dar e receber da relação, e a falta de comunicação.

Além disso, questões de saúde mental e comportamentais também influenciam na traição. Desse modo, períodos estressantes, insatisfação pessoal e baixa autoestima podem potencializar conflitos conjugais, que levam à infidelidade.

O que fazer depois da traição

A infidelidade é um assunto complicado. Por conta disso, trata-se de uma situação difícil de ser resolvida e, principalmente, tratada com racionalidade. Mesmo assim, é necessário fazer um esforço para saber lidar com a questão da melhor forma possível.

Dessa forma, segue uma lista com algumas ações que podem ajudar na consequência da traição: 

  • Não tome decisões precipitadas: antes de optar por continuar ou terminar o relacionamento, dedique um tempo para curar as feridas e para entender o máximo possível o que está por trás de tudo isso.
  • Seja responsável: se foi você quem traiu, assuma a responsabilidade por suas ações e não invente desculpas, nem culpabilize o outro. Além disso, termine o caso e interrompa toda interação ou comunicação com a pessoa amante. 
  • Procure ajuda profissional: as conversas podem ajudar a identificar questões que possam ter contribuído para o caso, aprender a se reconstruir e a se fortalecer, e até evitar o divórcio, caso esse seja o objetivo dos dois.
  • Procure restaurar a confiança: estabeleçam um plano para restaurar a confiança e obter uma reconciliação. Assim, é possível chegar a um acordo sobre um ritmo a adotar.
  • Se você foi infiel, admita a culpa e busque o perdão genuíno: de nada adianta tentar encobrir sua ação culpando o outro, o mais nobre é assumir a responsabilidade da ação.
  • Se seu parceiro ou parceira foi infiel, quando você for capaz, ofereça perdão. 

Ajuda profissional para lidar com a infidelidade

No fim das contas, você e seu companheiro é que vão decidir o que fazer do relacionamento. Entretanto, a ajuda de um especialista pode tornar o processo mais fluido. Nesse sentido, o psicólogo poderá compreender melhor a situação e auxiliar no processo após a infidelidade.

Dessa forma, se ambos estiverem comprometidos em cicatrizar as feridas, apesar da dor, a recompensa pode ser um novo modelo de casamento, que continuará a crescer e, provavelmente, excederá suas expectativas anteriores. 

Por mais estranho que pareça, muitos casais superam a traição e tornam o relacionamento muito melhor do que antes. Isso ocorre, pois ficam mais atentos aos sinais de que a relação não vai bem.

Encontre seu psicólogo online

A questão do perdão na traição

Um dos momentos mais difíceis da vida de alguém é descobrir que o parceiro é infiel. As emoções que surgem após a descoberta podem causar estragos no emocional de quem foi traído e de quem traiu também.

Aceitar ou não que foi traído, bem como perdoar o parceiro são decisões que devem ser analisadas com calma, levando em consideração as emoções e os planos para a relação.

Perdoar não é o mesmo que conceder permissão ao parceiro para trair ou aceitá-lo de volta em sua vida. O perdão beneficia quem foi traído, pois promove a libertação de emoções e de sentimentos desagradáveis, os quais fortalecem o apego da pessoa à situação dolorosa. 

Além disso, quem perdoa o parceiro infiel tem todo o direito de expressar as suas preocupações. Nesse sentido, também pode propor mudanças sensatas na dinâmica do relacionamento.

LEIA MAIS: Como ter amor-próprio: aprenda a como cultivá-lo

É necessário ser honesto tanto com você mesmo, quanto com o outro ao perdoar, pois não é legal aceitar o parceiro de volta e torturá-lo emocionalmente. A vingança pode soar atraente na hora, mas não é o caminho certo para reconstruir a confiança perdida. 

Ser traído certamente não diminui as oportunidades de reencontrar o amor de ninguém. Agora, se quem traiu foi você, pedir perdão por ter causado sofrimento e conversar com sinceridade com o parceiro é a atitude mais honrosa nessa situação. 

Além disso, precisamos tomar cuidado em fazer julgamentos, pois cada história é única e cada um reage de uma forma. Afinal, quem deve decidir o que é certo ou errado é o casal que está passando por isto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.