O que é terapia cognitiva comportamental?

0
282
cognitivo-comportamental

Ao longo da História, a humanidade padeceu de inúmeras maneiras, seja sob a ameaças de feras pré-históricas, milhares de guerras por terra e poder, ou pelas pestes e pandemias que marcaram eras. O século 21 ainda tem violência a cada esquina, doenças sem cura e conflitos sangrentos ao redor do mundo, porém, o maior mal da atualidade não mora lá fora, mas sim, dentro de nós. As doenças psicológicas corroem a mente silenciosamente e sobrevivem sob o espectro do tabu e do preconceito, fontes que alimentam esses transtornos e fazem do tratamento algo distante.

Para lutar contra os males físicos, médicos e hospitais foram criados a fim de tratar tais ameaças. Mas e quanto aos problemas da mente? Depressão, ansiedade, pânico e fobias encabeçam a lista das doenças psicológicas que mais fazem vítimas ao redor do mundo. Para combatê-las, a psicologia mergulhou fundo em pesquisas para que o psicólogo fosse capaz de investigar e tratar os pacientes através das terapias.

A psicologia não é linear. Ela evoluiu através dos séculos e hoje possui uma grande gama de vertentes que abrangem toda a sorte de pontos de vista e propósitos específicos. Isso permite que as pesquisas em busca de respostas para tratamentos mais assertivos para cada tipo de problema estejam sempre em andamento, o que dá mais chances aos pacientes de encontrarem o método mais confortável.

O que é TCC?

Terapia cognitivo-comportamental ou, para os íntimos, TCC, é um dos tipos de terapia mais famosos e mais embasados por evidências científicas. Aqui, o terapeuta  conduz o paciente a uma verdadeira jornada de transformação de pensamento frente aos problemas e às emoções que eles surtem. Para entender melhor essa linha da psicologia, vamos aos termos: o que significa “cognitivo”?

A cognição é um conceito da psicologia que surgiu em meados dos anos 70 e se caracteriza pelo conjunto de habilidades que um indivíduo tem para perceber, interpretar, conhecer e prever os mais variados estímulos, gerando respostas condizentes a eles. Ou seja, é a maneira como nós percebemos o que e quem nos cerca por meio dos cinco sentidos. A partir desse entendimento, a TCC visa modificar o pensamento do paciente e, consequentemente, o comportamento que prejudica e dá asas aos seus problemas.

O Instituto de Terapia Cognitiva do Brasil explica, brevemente, a terapia cognitivo-comportamental: “inicialmente, objetiva devolver ao paciente a flexibilidade cognitiva, através da intervenção sobre as suas cognições, a fim de promover mudanças nas emoções e comportamentos que as acompanham. Ao longo do processo terapêutico, no entanto, atua diretamente sobre o sistema de esquemas e crenças do paciente a fim de promover sua reestruturação. Em paralelo à reestruturação cognitiva, o terapeuta cognitivo utiliza ainda uma abordagem de resolução de problemas”.

Quem criou a terapia cognitiva-comportamental?

Nomes como Freud, Jung, Pavlov e Skinner são sempre evocados quando o assunto é psicologia, e cada qual inspirou, e ainda inspira, vertentes específicas da área. O grande nome da terapia cognitivo-comportamental é o Dr. Aaron Beck. O psicanalista e professor de psiquiatria da Universidade da Pennsylvania, juntamente com seus colaboradores, conduziu estudos importantes acerca dessa linha de pesquisa e desenvolveu esse novo sistema de psicoterapia.

A base teórica formulada por Beck e as subsequentes práticas clínicas mostraram que a terapia cognitivo-comportamental “é efetiva na redução de sintomas e taxas de recorrência, com ou sem medicação, em uma ampla variedade de transtornos psiquiátricos”, afirma o estudo realizado pelo psiquiatra brasileiro Paulo Knapp, publicado pela Revista Brasileira de Psiquiatria, em 2008.

Quando surgiu a terapia cognitivo-comportamental?

Foi nos anos 70 que a terapia cognitivo-comportamental ganhou mais força e aceitação, embora os estudos acerca dessa linha tenham tido início muito antes, na década de 60, e muitas influências de filósofos de séculos ainda mais antigos.

Veja quais os benefícios da psicologia online em seus diversos tipos de abordagem!

Por que escolher a terapia cognitivo-comportamental?

A abordagem cognitivo-comportamental é indicada para tratar depressão, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), transtorno de ansiedade generalizada, transtornos alimentares, estresse e traumas. Além disso, os estudos do Dr. Beck também colocou a terapia em prática nos casos de síndrome do pânico, transtornos da personalidade, abuso de substâncias, problemas interpessoais, raiva, esquizofrenia, transtorno bipolar.

Os dilemas e angústias que os pacientes sentem e não sabem a origem e nem o motivo de existirem, hoje podem ser tirados da obscuridade graças à psicoterapia. O grande problema é a relutância pelo medo de parecer fraco perante aos amigos e família, dificultando o acesso ao tratamento. Uma saída para aqueles que desejam procurar ajuda psicológica mas ainda têm medo do julgamento é fazer terapias online.

No Brasil, o CFP (Conselho Federal de Psicologia) analisa e controla o funcionamento das empresas deste segmento, o que gera ainda mais confiança ao cliente. O tratamento seja interrompido por causa da mudança de endereço ou de viagem.

O tratamento online foi autorizado pelo CFP, onde muitas pessoas que não conseguiam organizar seus horários com as consultas disponíveis ou tinham um desconforto em ser atendido pessoalmente, podem agora usufruir de mais esse tipo de possibilidade que a tecnologia oferece, sem perder a qualidade da consulta e garantindo seu bem-estar. Saiba como a Telavita pode te ajudar!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.